Opinião: Atuação digital faz Copa do Catar quebrar barreiras e atrair imenso público latino-americano

Com a contagem regressiva apontando menos de seis meses para o início da disputa da Copa do Mundo, cresce a expectativa no planeta. Com uma ótima atuação na área digital, o Catar, país-sede do evento, quebrou uma série de preconceitos e atrairá centenas de milhares de torcedores durante os 28 dias do torneio. Entre toda essa multidão que desembarcará no primeiro Mundial do Oriente Médio, os latino-americanos devem ser destaque.

Em todas as etapas de vendas de ingressos até aqui, Argentina, México e Brasil apareceram entre os principais países solicitantes. Na primeira fase de venda direta, por exemplo, as três nações fizeram parte das oito que mais compraram entradas para o Mundial, ao lado de Catar, Inglaterra, França, Índia e Arábia Saudita. Parte deste sucesso em atrair os torcedores certamente vem do trabalho desenvolvido na área digital.

A jornada de conteúdo digital nas contas oficiais da Copa do Catar teve, até aqui, um grande foco na apresentação da sede. Por ser um país muito diferente das nações da América Latina, o desafio é quebrar barreiras, preconceitos e aproximar os torcedores do destino do Mundial de 2022. Pelas interações nas publicações e a alta procura pelos ingressos, a comunicação feita pela agência Footbalco se mostra muito eficiente.

Para levar a mensagem com ainda mais proximidade aos fãs, influenciadores de todo o mundo têm sido convidados para conhecer de perto os detalhes que cercam não apenas a Copa, mas também os demais pontos turísticos, a cultura e os costumes locais.

Um ótimo exemplo foi o convite das contas da Copa do Mundo feito a Fred, do Desimpedidos, para o evento que marcou a contagem regressiva de um ano. Além de exibir o próprio evento e os estádios, em um dos vídeos produzidos o influencer também respondeu dúvidas de torcedores brasileiros a respeito do Catar. De forma muito extrovertida, trouxe todas as informações possíveis e certamente ajudou a atrair a sua (imensa) audiência para o Mundial.

A Influencer Cup foi outro ótimo caso. Realizada no fim de março, dias antes do sorteio dos grupos da Copa, o evento reuniu 28 influenciadores de futebol de diferentes partes do mundo, organizados em times que representavam continentes (Américas, Europa, Oriente Médio e Norte da África e Ásia). O torneio aconteceu em um estádio da Copa do Mundo, o 974. A ação foi muito positiva, com o time das Américas vencendo, com Alê Xavier e os irmãos Caio e Vitor Lo como representantes brasileiros. Caio Lo, inclusive, foi artilheiro e MVP do torneio.

Se o país ganha muito com a exposição positiva nas redes sociais, os patrocinadores da Copa do Mundo também se beneficiam. Na semana do sorteio, alguns dos influenciadores do Mundial foram enviados para o evento de lançamento da Al Rihla, a bola oficial da Copa, que aconteceu no deserto do Catar com a presença de Kaká e Casillas, entre outras lendas. A influencer Alê Xavier foi a representante da América do Sul.

O mês de junho deve aproximar ainda mais o Catar da América Latina. Duas seleções da região lutarão por vagas na repescagem. Uma delas é a Costa Rica, e a outra é o Peru, que em 2018 ganhou o prêmio de melhor torcida do Mundial. Se a seleção de Ricardo Gareca se classificar, há pouca dúvida de que um grande número de peruanos atravessará o mundo em novembro. Como consequência, o canal da Copa em espanhol ganhará ainda mais força e importância. Outro grande momento certamente será a inauguração do Lusail, o estádio da final do Mundial, que já está pronto.

André Stepan é jornalista, pós-graduado em marketing esportivo, especialista em comunicação e conteúdo digital, e escreve mensalmente na Máquina do Esporte