Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

Alessandro Batista

Executivo da Panasonic comenta patrocínio a Neymar e a nova campanha da marca

Guilherme Costa Publicado em 30/04/2010, às 13h27

A Panasonic apresentou na última quinta-feira o atacante Neymar como seu novo garoto-propaganda. O jogador do Santos foi contratado por um ano para ser o protagonista da comunicação da marca, baseada em um conceito de produtos ecológicos.

A preocupação ambiental foi um caminho escolhido pela Panasonic para rejuvenescer sua marca. No evento em que apresentou Neymar, a companhia revelou meta de ser a número 1 do segmento em inovações tecnológicas até 2018, quando completará cem anos de fundação.

A escolha de Neymar também tem relação com a aposta na ecologia. O jogador tem apenas 18 anos, e ocupa atualmente o status de grande revelação do futebol brasileiro. Ao apostar nele, a Panasonic encontra um personagem que reforça a mensagem de seu plano de comunicação, baseado em mensagens como ?cultivando o futuro? e ?para a nova geração?.

O contrato com o atacante, contudo, reserva outro elo com o conceito de futuro. Neymar tem sido alvo constante de dúvidas, na mídia e entre torcedores, sobre a possibilidade de uma convocação para a Copa do Mundo de 2010. E desponta como possível estrela do Brasil para a edição seguinte do torneio, que será realizada no país.

Para fechar com Neymar e fazer uma extensa campanha de conscientização ecológica, a Panasonic precisou concentrar seu investimento no futebol. No fim do ano passado, a empresa encerrou o aporte a uma equipe da Copa Caixa Stock Car.

?O futebol é uma paixão, ainda mais no Brasil. Nós sempre fomos uma empresa ligada ao esporte, tanto que somos patrocinadores oficiais dos Jogos Olímpicos. Tivemos uma equipe na Stock também. Mas é claro que a Copa, ainda mais no Brasil, chama muita atenção?, disse Alessandro Batista, analista de produtos da Panasonic, em entrevista exclusiva à Máquina do Esporte.

No bate-papo, o executivo explicou como a empresa chegou ao nome do atacante e por que o contrato foi assinado por apenas um ano. Além disso, Batista rechaçou usar Neymar como resposta à rival Samsung, que contratou Robinho recentemente, e explicou um pouco da campanha que será realizada pela Panasonic nos próximos meses.

Leia a seguir a íntegra da entrevista:

Máquina do Esporte: Os slogans ?cultivando o futuro? e ?para a nova geração?, usados na comunicação da Panasonic, explicam um pouco o porquê de a empresa ter contratado um jogador jovem e promissor. Dentro desse grupo, por que escolher o Neymar?

Alessandro Batista: Nós promovemos uma seletiva entre jovens jogadores, e escolhemos o Neymar porque ele é um atleta que tem a idade e algumas características que definem a Panasonic. Ele tem um estilo despojado, com gana, e determinação. Esses são atributos que nós também buscamos para a empresa.

ME: Pesou para a decisão o fato de a Samsung ter o Robinho como garoto-propaganda?

AB: Não pensamos na Samsung. A parceria com o Neymar é viável porque se trata de um atleta jovem e porque a nossa ideia é apoiar a nova geração. Investimos muito no conceito de criação de um mundo melhor, ele é jovem e fala para esse público. Não tem relação com a aposta da rival no Robinho.

ME: Se o Neymar é tão promissor e a aposta de vocês é no futuro, por que o contrato tem duração de apenas um ano? Quem estipulou isso?

AB: O contrato foi definido por um ano, com possibilidade de renovação. Foi algo decidido entre nós e o estafe do jogador. Fechamos algo pensando nessa campanha, mas é claro que apostamos muito nele. Ele já é o garoto-propaganda da Panasonic no país, e nós acreditamos em uma relação mais longa.

ME: O plano de comunicação da Panasonic com o Neymar inclui a realização de um concurso cultural na internet. O fato de a empresa buscar um público com perfil jovem influenciou na busca por mídias eletrônicas?

AB: Nós escolhemos um atleta jovem porque esperamos ajudar as novas gerações. O plano de mídia envolve todas as mídias possíveis, abrange todos os meios. É claro que a internet e as mídias sociais têm papel importante nesse perfil de público.

ME: Qual é a participação de mercado da Panasonic e quanto a empresa pretende atingir a partir dessa campanha?

AB: Nós não revelamos números. O que eu posso dizer é que o crescimento não depende só do Neymar. Temos uma comunicação muito forte, e isso não é só por conta dele. Sempre fomos engajados no esporte.

ME: O fato de 2010 ser um ano de Copa do Mundo influenciou na aposta de vocês?

AB: O futebol é uma paixão, ainda mais no Brasil. Nós sempre fomos uma empresa ligada ao esporte, tanto que somos patrocinadores oficiais dos Jogos Olímpicos. Tivemos uma equipe na Stock também. Mas é claro que a Copa, ainda mais no Brasil, chama muita atenção.

ME: Por que vocês decidiram fechar a equipe da Stock no fim do ano passado?

AB: Foi uma escolha estratégica. Optamos por concentrar o investimento nessa campanha, nessa iniciativa e na contratação de um atleta com o peso do Neymar.

ME: Quando a Panasonic decidiu concentrar o investimento no futebol, por que escolheu um atleta? O retorno é melhor do que um time ou campeonato?

AB: Não medimos o retorno. Pensamos no que se encaixava melhor com a nossa campanha, com o ideal que estamos querendo passar. O Neymar faz sentido.

ME: Existe um projeto para fechar outros patrocínios no esporte?

AB: No primeiro momento, vamos focar nesse conceito de eco ideias. Não estamos olhando para outras categorias.

ME: Na semana passada, em entrevista a ?O Estado de S. Paulo?, Neymar deu algumas declarações polêmicas sobre política e preconceito racial. As frases mostraram, em muitos momentos, o quanto ele ainda precisa amadurecer. Isso interfere na visão que a Panasonic tem do jogador?

AB: De forma alguma! Nós contratamos um jovem, e não podíamos esperar maturidade de um jovem. Por mais que a entrevista tenha repercutido mal, o Neymar é um jovem com muita consciência ecológica. Ele gostou da proposta da Panasonic, e isso foi um fator que pesou na aproximação. Nós acreditamos que ele pode ser um bom exemplo.

ME: Que tipo de ativação será feita com o Neymar? A ideia é usar apenas a imagem dele ou ele estará em ações de relacionamento com clientes, produtores ou revendedores?

AB: Como embaixador da marca, ele vai participar de eventos. Principalmente quando os eventos tiverem tema focado em ecologia, que é a nossa proposta. Só que esse cronograma ainda não foi fechado, e portanto nós não podemos divulgar quantos ou quais eventos terão presença dele.

ME: Na comunicação da Samsung com o Robinho, houve um cuidado para que ele não aparecesse em nenhuma imagem com símbolos evidentes de outros patrocinadores. ? a chuteira dele, por exemplo, não tem logomarca da Nike. No caso do Neymar, ele veste nas propagandas da Panasonic o mesmo calçado que usa nos campos. Por quê?

AB: Nós respeitamos o contrato do atleta. Ele é patrocinado pela Nike, que não é uma marca concorrente, e nós não vimos problema. Achamos melhor valorizar quem também investe no atleta.

* Colaborou Eduardo Lopes