Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte
Entrevista / Futevôlei

World Footvolley celebra sucesso do Mundial no Rio de Janeiro

Máquina do Esporte conversou com Luiz Gomes, fundador e CEO da organização internacional de futevôlei

Redação - São Paulo (SP) Publicado em 02/12/2021, às 11h40 - Atualizado às 11h42

Atletas brasileiras dão entrevista durante a realização do Mundial no Rio de Janeiro - Foto: Bruno Ruas
Atletas brasileiras dão entrevista durante a realização do Mundial no Rio de Janeiro - Foto: Bruno Ruas

A World Footvolley, organização internacional de futevôlei, e promotora do Mundial da categoria no Rio de Janeiro, que foi disputado entre os dias 19 e 21 de novembro, realizou um balanço sobre o evento e comemorou os resultados obtidos. Ao todo, foram mais de 5 mil fãs lotando a arena montada na Praia de Copacabana, no Rio de Janeiro.

Além do público, o evento contou com diversos patrocinadores, o que garantiu uma premiação atraente para os vencedores (R$ 40 mil distribuídos no total), e ainda teve transmissão em TV fechada pelo canal Sportv, do grupo Globo, e de emissoras internacionais.

A Máquina do Esporte conversou com Luiz Gomes, fundador e CEO da World Footvolley, que deu detalhes de como surgiu a organização, um panorama geral do evento e ainda os planos para a próxima temporada.

Confira abaixo a entrevista na íntegra:  

Máquina do Esporte: Como surgiu a World Footvolley? E qual era o principal objetivo quando ela foi criada?
Luiz Gomes:
A WF surgiu através de um torneio de exibição durante os Jogos Olímpicos Rio 2016. À ocasião, representantes de 22 países se reuniram para alinhar um plano de desenvolvimento. Desde sua origem, temos a proposta de posicionar o futevôlei como uma oferta de relevância comercial e, com recursos apropriados, massificar a modalidade a nível internacional.

ME: O Mundial de Futevôlei no Rio de Janeiro foi um sucesso de público (mais de 5 mil pessoas na arena em três dias de eventos). Qual é a avaliação de vocês do ponto de vista comercial?
LG:
O aumento na popularidade do futevôlei é inquestionável e ficou comprovado naquele fim de semana. Contamos com grandes parceiros de mídia e, junto a eles, conseguimos atrair marcas de relevância, como Michelob Ultra e Granado. Contudo, seguiremos aprimorando nossa oferta para que novos parceiros possam fazer parte dos próximos capítulos.

ME: O Mundial teve transmissão em TV fechada pelo canal Sportv, pertencente ao Grupo Globo. O que representou para vocês ter uma grande emissora na cobertura do evento?
LG:
Contamos com o Grupo Globo desde nossa origem e, como uma empresa que preza por uma oferta alto padrão e alcance em massa, trabalharemos sempre com grandes parceiros de mídia. Essa edição do World Footvolley Finals atingiu mais de 1,5 milhão de espectadores no Brasil e no exterior.

ME: Fazendo um panorama do ponto de vista do marketing, você acredita que a World Footvolley sai ainda mais forte com a retomada dos eventos e também após o sucesso na Praia de Copacabana?
LG:
Optamos pela retomada ainda este ano, pois temos confiança de que, com esse evento, aumentaremos o interesse do mercado no nosso produto. O futevôlei é um esporte impactante, democrático e promove qualidade de vida, atributos que muitas marcas gostariam de se associar.

ME: Durante o evento, a World Footvolley organizou oficinas para crianças aprenderem futevôlei. Como vocês têm trabalhado do ponto de vista digital e de redes sociais para alcançar essa renovação de público com as novas gerações?
LG:
Nascemos no meio da revolução digital e estamos constantemente moldando nosso posicionamento. Já tivemos conteúdos alcançando 25 milhões de visualizações e, com o tempo, buscaremos desenvolver cada vez mais propostas visando o engajamento das novas gerações.

ME: Quais são os planos da World Footvolley para 2022?
LG:
Estamos definindo nas próximas semanas as sedes de quatro etapas que serão televisionadas em 2022. Além dos eventos, estaremos amadurecendo nossa plataforma de relacionamento no site WorldFootvolley.com e lançando novos produtos de mídia, como a segunda edição da série WF Stars, relatando as experiências dos atletas durante a realização da nossa última etapa.