Após MLB, Apple fecha mega-acordo global de dez anos com MLS

Cerca de três meses após fechar o primeiro acordo de direitos de transmissão esportivos da sua história com a Major League Baseball (MLB), a Apple anunciou, nesta terça-feira (14), um megacontrato de dez anos com a Major League Soccer (MLS). Com isso, a gigante da tecnologia terá pela primeira vez transmissões ao vivo de jogos de futebol.

Pelo acordo, a Apple terá exclusividade da competição no segmento de streaming e poderá exibir todas as partidas, de todas as temporadas envolvidas no contrato (de 2023 a 2032), a qualquer assinante no mundo. Os valores das negociações não foram revelados, mas a imprensa americana especula algo em torno de US$ 2,5 bilhões (US$ 250 milhões por ano).   

Em todos os aspectos, o acerto com a MLS é a maior aposta da Apple no esporte até o momento. Para se ter uma ideia da diferença, o acordo com a MLB envolve “apenas” um pacote de exibição de jogos às sextas-feiras à noite em nove países (Austrália, Brasil, Canadá, Coreia do Sul, Estados Unidos, Japão, México, Porto Rico e Reino Unido).

Segundo o site SportsPro Media, a Apple criará um novo serviço de streaming dedicado à MLS e que estará disponível de maneira exclusiva pelo aplicativo Apple TV. O cliente ainda terá direito a um show semanal ao vivo, replays de partidas completas, destaques, análises e outras programações originais que serão anunciadas em breve.

Além disso, assinantes do serviço de streaming Apple TV+ terão acesso a um número limitado de partidas do campeonato americano de futebol sem custo adicional, e os titulares de ingressos para jogos da MLS serão agraciados com acesso gratuito à plataforma.  

“Esta parceria meio que parece a cereja do bolo. Nós realmente estamos muito focados em construir uma liga da qual todos possamos nos orgulhar, que possa se tornar uma das principais ligas do mundo, que possa mostrar aos fãs aqui e globalmente que a América, a América do Norte, são mercados de futebol”, disse Don Garber, comissário da MLS, em entrevista à agência de notícias PA.

“Agora, com uma oportunidade global de construir uma base de fãs com o líder em produtos globais, tecnologia global e inovação global, poderemos expandir além das nossas fronteiras. Isso nos dá a capacidade de participar não apenas do mercado global de jogadores, mas do mercado global de fãs. Qualquer jogo, a qualquer hora, em qualquer lugar, sem restrições, é realmente o combustível do foguete que nos levará a esse ponto. Então, nos dá um novo tipo de jornada em direção à Copa do Mundo e além”, completou o mandatário.

Pelo lado da Apple, a expectativa é de que o mega-acordo sirva até como divisor de águas na história dos direitos de transmissões esportivos.

“Olha, é um grande momento para o esporte. É um sonho tornado realidade para os fãs. É realmente a primeira vez que os fãs poderão acessar tudo, todos os jogos de uma grande liga profissional de esportes em um só lugar. Não há apagões nem restrições. Vai ser incrivelmente divertido”, destacou Eddy Cue, vice-presidente sênior de serviços da Apple, também em entrevista à agência de notícias PA.

“Estamos comprometidos com o crescimento do futebol com a MLS. Já é o esporte que mais cresce na América do Norte, e estamos muito empolgados em ver as pessoas se apaixonarem pela MLS, torcendo por seu clube favorito. E se você olhar para frente e perceber que a Copa do Mundo está chegando aos EUA, Canadá e México em 2026, o que estamos fazendo tende a ficar ainda maior”, finalizou o executivo.