Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte
Futebol / Namoro

Após pontual, São Paulo negocia máster com LG

Erich Beting Publicado em 24/05/2021, às 02h20

Imagem Após pontual, São Paulo negocia máster com LG
Luan, volante do São Paulo, durante a vitória sobre o Palmeiras na final do Paulista
Rubens Chiri/São Paulo FC

A conquista do Campeonato Paulista após 16 anos tirou um peso das costas do São Paulo, que também viu após a vitória por 2 a 0 ser quebrado um jejum de nove anos sem qualquer título. No jogo derradeiro do Paulistão, a volta da marca da LG na camisa do time após 11 anos também foi celebrada nas redes sociais do clube.

“Para ficarmos cada vez mais conectados, exclusivamente, nesta final do Campeonato Paulista, o São Paulo conta com o apoio da pé-quente LG, que estampará a sua marca na camisa do Tricolor!”, avisou o São Paulo ao confirmar a parceria, adiantada no sábado pela Máquina do Esporte.

Agora, a diretoria de marketing do clube encaminha um acerto prolongado com a marca de eletrônicos. A proposta de acerto por pelo menos sete meses, até o final da temporada 2021, já está na mesa da LG e tende a ser discutida nos próximos dias com a diretoria de marketing são-paulina.

Ao recusar a renovação com o Banco Inter, no mês de março, o São Paulo queria R$ 18 milhões por ano pelo espaço principal do uniforme. Agora, com a LG, a tendência é o valor se manter proporcional a isso, o que representaria cerca de R$ 10,5 milhões até dezembro.

Os trunfos do São Paulo na negociação são a alta exposição de marca do clube com as disputas da Copa do Brasil, Campeonato Brasileiro e Conmebol Libertadores e, ainda, a presença internacional dada pelo torneio continental.

Do lado da LG, um eventual patrocínio ao São Paulo asseguraria maior exposição da empresa e possibilidade de ações para a venda de produtos. Em abril passado, a multinacional coreana anunciou que deixará o negócio de smartphones ainda este ano, o que significará fechar a unidade que emprega cerca de 400 pessoas no Brasil. A LG passará a focar a produção de TVs, notebooks e aparelhos de utilidades domésticas. O São Paulo poderia servir como um meio de ampliar as vendas a partir de ações com a torcida e em jogos transmitidos na TV aberta.