Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte
Futebol / Vendido!

Após racismo de proprietário, Real Salt Lake, da MLS, é vendido

Empresários David Blitzer e Ryan Smith compraram time da MLS e devem lançar equipe feminina

Redação Publicado em 07/01/2022, às 10h42

Real Salt Lake, que joga a MLS, foi obrigado a ser vendido depois de antigo dono ter sido acusado de racismo - Divulgação
Real Salt Lake, que joga a MLS, foi obrigado a ser vendido depois de antigo dono ter sido acusado de racismo - Divulgação

David Blitzer e Ryan Smith serão os novos donos do Real Salt Lake, clube que disputa a MLS (Major League Soccer), após obterem a aprovação unânime do conselho da entidade. O negócio teria sido no valor de US$ 400 milhões, de acordo com o site Sportico.

Dell Loy Hansen, ex-proprietário do clube, foi forçado a vende-lo após acusações de que havia utilizado repetidamente linguagem racista. A MLS assumiu o processo de venda em janeiro de 2021. Com o negócio concretizado, Blitzer será o presidente do clube, e Smith ficará como suplente.

O estádio Rio Tinto, do Salt Lake, o centro de treinamento e a academia do clube em Herriman (Utah) também entraram no negócio, além do Real Monarchs, clube que disputa a USL (United Soccer League, espécie de segunda divisão).

“Trabalharemos para desenvolver o legado e a tradição do Real Salt Lake, investindo não apenas na equipe e em suas instalações, mas também nas comunidades que nossa equipe atende. Temos a oportunidade de usar a plataforma exclusiva do Real Salt Lake para impulsionar mudanças positivas no campo, na comunidade local e em todo o Estado. Estamos entusiasmados e honrados por fazer parte do que o futuro reserva ”, afirmou Smith.

A temporada do Real Salt Lake na MLS começa no dia 27 de fevereiro, quando a equipe enfrenta o Houston Dynamo fora de casa na abertura da temporada.

A empresa que irá gerir o time, a Utah Soccer LLC, também terá a opção de assumir na cidade a franquia de expansão da NWSL (liga nacional de futebol feminino). O Utah Royals foi dissolvido em 2020, quando a licença da equipe e o elenco foram adquiridos pelos donos do que se tornou o Kansas City Current.

“Há uma comunidade incrível de futebol aqui em Utah, desde programas juvenis e religiosos até os apaixonados torcedores e fãs do Real Salt Lake. Esperamos continuar trabalhando com a região e o Estado para fazer grandes coisas com o esporte profissional”, disse Smith.

A mudança fez com que a holding de Hansen mantivesse o direito de relançar uma franquia da NWSL em Utah. Blitzer já afirmou, em entrevista ao Salt Lake Tribune, que os novos donos pretendem exercer esse direito.

“Acho que a melhor maneira de dizer é que, do nosso lado a questão é "quando" e não "se". Estamos no primeiro dia, mas essa é uma iniciativa importante, sobre a qual Ryan e eu conversamos muito e estamos animados em formar uma equipe da NWSL para voltar a esse mercado”, afirmou o dirigente.

Como a MLS mudou recentemente as regras de propriedade das franquias, permitindo investimentos de empresas, a Arctos Sports Partners também se juntou ao empreendimento como sócio minoritário.
O fundo de investimentos recentemente anunciou ter chegado a 13% de participação no Golden State Warriors (NBA). A empresa possui mais de 20 investimentos nas grandes ligas dos EUA, tendo participação minoritária também no Tampa Bay Lightning e no Minnesota Wild, da NHL (liga de hóquei no gelo).

Blitzer, 52, por sua vez, é coproprietário do Philadelphia 76ers (NBA) e do New Jersey Devils (NHL). Ele também tem participação no Crystal Palace (Inglaterra), Augsburg (Alemanha) e Waasland Beveren (Bélgica). Smith é dono do Utah Jazz (NBA), seu primeiro grande investimento em esporte.

“O Real Salt Lake é um clube de nível mundial com uma base de torcedores incrível, forte infraestrutura e compromisso de longo tempo com a comunidade de Utah”, destacou o empresário.