Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte
Futebol / Estratégia

Athletico Paranaense dá passo importante para se tornar clube-empresa

Transformação da equipe paranaense em clube-empresa é um sonho antigo do mandatário Mario Celso Petraglia

Redação - São Paulo (SP) Publicado em 12/11/2021, às 11h09 - Atualizado às 11h13

Athletico está em uma temporada de sucesso dentro de campo, com finais da Copa do Brasil e Copa Sul-Americana garantidas - Divulgação / Athletico Paranaense
Athletico está em uma temporada de sucesso dentro de campo, com finais da Copa do Brasil e Copa Sul-Americana garantidas - Divulgação / Athletico Paranaense

Finalista da Copa Sul-Americana e da Copa do Brasil em 2021, o Athletico Paranaense tem sido reconhecido nos últimos anos como um dos clubes de futebol mais estruturados do país, com um ótimo centro de treinamento e uma das mais belas arenas esportivas da América do Sul.

Na última quinta-feira (11), o clube deu um passo importante para se tornar um clube-empresa, colocando em votação para os sócios a decisão de alterar ou não o modelo atual de associação sem fins lucrativos para Sociedade Anônima de Futebol (SAF).

Por ampla maioria dos votos (89,4% dos 5.131 aptos para votar), os sócios aprovaram a transformação, cabendo agora ao Conselho Deliberativo do clube colocar em prática todos os atos necessários para que o processo seja concluído.

Para Mario Celso Petraglia, presidente do rubro-negro paranaense, que participou de todo o processo que levou o clube de um time considerado de médio porte a um dos mais importantes do futebol brasileiro no momento, o Athletico se encontra atualmente em seu “teto”, o que tornaria necessária a mudança administrativa para que o clube atraia novos investidores e continue seu processo de crescimento.

“Tivemos a onda inicial da profissionalização, da expansão, e agora é a onda do protagonismo. Para isso, precisamos crescer nossos investimentos e recursos”, disse o executivo.

O modelo apresentado prevê que os investidores não poderão realizar mudanças radicais no clube, como mudança de cidade, cores e símbolos, visando proteger a essência da equipe, que chegará ao seu centenário em março de 2024.