Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte
Futebol / Ação Social

Athletico-PR e Havan se unem em ação de conscientização sobre dislexia

Alguns jogadores do time entraram em campo com letras trocadas nos nomes e na logomarca da empresa

Redação - São Paulo (SP) Publicado em 13/10/2021, às 09h35

Atacante Nikão teve seu nome trocado na camisa para mostrar como é o processo de leitura de um disléxico - Divulgação / Havan
Atacante Nikão teve seu nome trocado na camisa para mostrar como é o processo de leitura de um disléxico - Divulgação / Havan

O Athletico Paranaense e um de seus patrocinadores, a Havan, se uniram para uma ação de conscientização sobre a dislexia, transtorno de aprendizagem que atinge entre 5% e 17% da população e é o distúrbio de maior incidência nas salas de aula do país. No último sábado (9), alguns jogadores do time entraram em campo pelo Campeonato Brasileiro com os nomes escritos com letras trocadas nas camisas para mostrar ao público em geral como é o processo de leitura de um disléxico, cujo cérebro tem dificuldade para ordenar as letras e formar as palavras, o que afeta a leitura e a escrita. O próprio logotipo da empresa apareceu como “Hafan“.

A ação foi realizada para lembrar o Dia Mundial da Dislexia, que é celebrado todo dia 10 de outubro e teve no próprio dono da Havan, Luciano Hang, uma inspiração. O executivo é disléxico e aprendeu a ler somente com 12 anos. A ação foi mantida em segredo até o início do jogo diante do Bahia, com o intuito de que o público estranhasse a escrita trocada e se questionasse sobre o que estava acontecendo.

“Queríamos que o público se colocasse no lugar de quem tem dislexia e entendesse um pouco mais sobre este transtorno que afeta tantas pessoas. O futebol é uma paixão nacional, e acreditamos que é uma excelente ferramenta de conscientização. Ficamos muito felizes com a repercussão e em alertar sobre esse assunto tão importante”, destacou Ana Maria Leal da Veiga, coordenadora de marketing institucional da Havan.

“Com essa ação, quisemos deixar evidente que uma pessoa com dislexia ou algum outro transtorno precisa ser acolhida e acompanhada por profissionais capacitados. O quanto antes os pais perceberem essas particularidades, melhor será o desenvolvimento da criança e menores os reflexos na vida dela”, completou Luciano Hang.

Em paralelo à ação realizada no jogo, uma série de vídeos de conscientização sobre a dislexia foram lançados no canal da Havan no YouTube. Ao todo, são quatro vídeos que têm como foco principal a abordagem dos sintomas e do tratamento do distúrbio, além de servirem como uma maneira de desmistificar o transtorno.

“A criatividade é um traço marcante entre os disléxicos. Aconselha-se os pais a estimularem a criança a desenhar, pintar, tocar instrumentos musicais e praticar esportes. O estímulo com atividades visuais também é muito importante. O tratamento da dislexia é um trabalho que exige paciência, pois é gradativo, mas os resultados logo aparecem e, junto da família, da escola e das terapias, o disléxico poderá ter uma vida escolar de muito sucesso. Por isso, é tão importante falar sobre o assunto”, finalizou a psicopedagoga Ana Paula Silva.