Barcelona aprova venda de 25% dos direitos de TV e participação minoritária a investidor

O Barcelona aprovou a venda de uma participação minoritária em sua divisão de licenciamento e merchandising, além de ceder até 25% da receita de seus direitos de TV na LaLiga. Dos membros delegados que representam os torcedores, 88% votaram a favor da venda de 49,95% das ações do Barça Licensing & Merchandising (BLM). O clube manterá uma opção de recompra.

Dos membros credenciados, 87% apoiaram a mudança para ceder até 25% da receita dos direitos de TV da LaLiga a um ou mais investidores e obter financiamento com base nos direitos.

O Barcelona informou que espera ganhar cerca de € 600 milhões (R$ 3,26 bilhões) com os acordos, que ajudarão a fortalecer as finanças do clube, garantindo que possa terminar o ano fiscal sem perdas e aumentar seu limite de gastos.

Dívidas

A situação financeira do Barcelona continua complicada após os prejuízos decorrentes da pandemia e da paralisação do futebol em 2020. A dívida do clube subiu para € 1,35 bilhão (R$ 7,33 bilhões) no ano passado. Outra fonte de despesas é a reforma do Estádio Camp Nou, que deve custar cerca de € 1,5 bilhão (R$ 8,14 bilhões). O clube teve um prejuízo de € 481 milhões (R$ 2,61 bilhões), com impostos, durante a temporada 2020/2021, no auge da pandemia.

“Quando chegamos no ano passado, nos encontramos em uma situação financeira muito complicada. Não podíamos pagar a folha de pagamento de maio de 2021. Os investidores exigiam € 200 milhões que não tínhamos“, disse Joan Laporta, presidente do Barcelona, durante a Assembleia Geral extraordinária do clube.

“Acreditamos que usar os ativos do clube para criar alavancas financeiras é a melhor maneira de trazer o Barcelona de volta à competitividade”, acrescentou.

Veto à CVC

A decisão do Barcelona de ceder até 25% da receita dos direitos de TV da LaLiga chega depois que o clube, ao lado de Real Madrid e Athletic Bilbao, optou por não receber o investimento de € 2 bilhões da LaLiga (R$ 10,9 bilhões) vindos da CVC Capital Partners em dezembro de 2021. O acordo deu à empresa de capital privado uma participação de 8,25% nos direitos de mídia do Campeonato Espanhol pelos próximos 50 anos.

O Barcelona, assim como Real Madrid e Athletic Bilbao, entrou com uma ação legal contra a LaLiga, devido a divergências sobre o valor e a duração do acordo com a CVC. Os três clubes já haviam apresentado uma proposta alternativa de financiamento na tentativa de acabar com o acordo com o fundo de investimentos.

Vale lembrar ainda que, no mês passado, o diário El Confidencial informou que o Barcelona estava perto de finalizar um empréstimo de € 900 milhões (R$ 4,9 bilhões) com a Goldman Sachs para pagamento de dívidas de curto prazo do clube.