Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte
Futebol / Competição

Bayern, Dortmund e Leipzig reprovam Superliga e seguirão na Champions

Redação Publicado em 20/04/2021, às 10h00

Imagem Bayern, Dortmund e Leipzig reprovam Superliga e seguirão na Champions

A Superliga não contará com os maiores times da Alemanha. Bayern de Munique, Borussia Dortmund e RB Leipzig emitiram um comunicado na última segunda-feira (19) em que reprovam a criação da Superliga Europa e ressaltam que continuarão na Champions League.

Em comunicado, o CEO do Bayern, Karl-Heinz Rummenigge, apoiou as mudanças de formato anunciadas pela Uefa nesta segunda para a Liga dos Campeões e refutou participação na Superliga.

"O Bayern nunca esteve envolvido em planos para a criação da Superliga. Estamos convencidos que a estrutura atual do futebol garante uma fundação econômica sustentável para todos", afirmou.

"O Bayern apoia as reformas anunciadas para a Champions League, porque acredita que elas são um passo na direção correta do desenvolvimento do futebol europeu. A nova fase de grupos vai contribuir para o aumento da emoção de todos em participar dessa competição", seguiu.

"Eu não acredito que a Superliga vai resolver os problemas financeiros atuais dos clubes europeus, que foram piorados pela pandemia de COVID-19. Ao contrário: todos os clubes da Europa deveriam trabalhar de maneira solidária para garantir que os custos, especialmente com salários de atletas e taxas pagas a agentes em transferências, sejam ajustadas aos orçamentos, tornando o futebol europeu cada vez mais racional", complementou.

No Dortmund, o CEO da equipe, Hans-Joachim Watzke, também salientou que o time seguirá competindo na Champions League, assim como o RB Leipzig, outra das principais forças do futebol alemão.

"Os diretores da ECA (Associação de Clubes Europeus) se reuniram no último domingo, em conferência virtual, a concordaram em seguir com os planos traçados na última sexta-feira, o que significa que os clubes seguem apoiando as reformas propostas para a Uefa Champions League. Os membros do ECA se colocaram de forma totalmente contrária à criação de uma Superliga", afirmou Watzke.

No Leipzig, o CEO Oliver Mintzlaff também deixou clara sua insatisfação com o torneio criado pelos 12 gigantes.

"Nós somos defensores da competição esportiva. E competição esportiva significa lutar para alcançar uma posição em sua liga doméstica que lhe dê o direito de participar de uma competição internacional. Para nós, mudar isso é algo totalmente fora de questão. Rejeitamos qualquer plano para criar uma Superliga", pontuou.