Futebol

Carioca terá transmissão voltada para telefones celulares

por Erich Beting
A
A
As mudanças no formato da transmissão dos jogos fazem parte do pacote de novidades que a Sportsview preparou para o pay-per-view do Campeonato Carioca.
Crédito: Reprodução
As mudanças no formato da transmissão dos jogos fazem parte do pacote de novidades que a Sportsview preparou para o pay-per-view do Campeonato Carioca.
publicidade

Não serão apenas os canais de distribuição de conteúdo do Campeonato Carioca que vão mudar em 2021. Depois de acertar um novo modelo de comercialização do torneio, a Sportsview, agência responsável pelo projeto de mídia da competição, afirma que vai, aos poucos, mudar a forma como as imagens chegam para os torcedores, pensando cada vez mais no consumo via telefones celulares.

“Não vamos ter mais aquela coisa de 85% da transmissão ser feita no plano um. Teremos closes, imagens de atletas, treinadores, um formato muito mais dinâmico”, afirmou à Máquina do Esporte Raul Costa Junior, sócio da agência e ex-diretor do Sportv.

O “plano um” a que o executivo se refere é a câmera principal, que dá um panorama mais aberto do campo de jogo e que, há pelo menos meio século, é a principal imagem que as televisões mostram durante a transmissão do futebol.

“Vamos implementar uma série de novidades nas transmissões, que eu gostaria de ter feito já tem algum tempo, mas que o modelo da televisão sempre impediu”, completou Raul.

As mudanças no formato da transmissão dos jogos fazem parte do pacote de novidades que a Sportsview preparou para o pay-per-view do Campeonato Carioca. Principal aposta para a monetização do conteúdo do Estadual, a empresa investirá na plataforma paga, que será distribuída por Claro, Sky, Vivo e pelo aplicativo da Live Mode. A expectativa é de que mais de 500 mil pessoas possam assinar os pacotes, que custarão R$ 49,90 em cada uma das plataformas.

Segundo Marcelo de Campos Pinto, que também é sócio da Sportsview, as mudanças nas transmissões têm como objetivo adaptar-se ao modo de consumo das pessoas.

“O telefone celular hoje é praticamente um complemento do nosso corpo. E as pessoas cada vez mais consomem o conteúdo por lá. Lógico que, quando ela está em casa, se tem a TV, ela vai preferir ver o jogo da TV, mas o celular seguirá como segunda tela”, afirmou o executivo.

Marcelo Campos Pinto, Raul Costa Junior e Fernando Ferreira, os três sócios da Sportsview, são os entrevistados de “No Detalhe”, programa que a Máquina do Esporte lança em seu canal no YouTube. 

Clique aqui para se inscrever e receber o alerta de quando o conteúdo irá ao ar.

publicidade

Opinião: Modelo de banco digital no futebol se mostrou limitado