Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte
Futebol / Mudou

CBF troca diretoria, e Gilberto Ratto deixa marketing após sete anos

Manoel Flores, diretor de competições; Reynaldo Buzzoni, de registros; e Carlos Lopes, vice-presidente jurídico, também deixaram entidade

Redação - São Paulo (SP) Publicado em 13/04/2022, às 07h43 - Atualizado às 07h45

Gilberto Ratto chegou à diretoria de marketing da CBF em outubro de 2014, após a Copa do Mundo no Brasil - Lucas Figueiredo / CBF
Gilberto Ratto chegou à diretoria de marketing da CBF em outubro de 2014, após a Copa do Mundo no Brasil - Lucas Figueiredo / CBF

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) fez uma mudança radical em sua diretoria semanas após Ednaldo Rodrigues ter sido eleito para o cargo de presidente da entidade. Três diretores e um vice-presidente foram desligados: Gilberto Ratto (marketing), Manoel Flores (competições), Reynaldo Buzzoni (registros e transferências) e Carlos Eugênio Lopes (vice-presidente jurídico).

Dos quatro, quem tinha mais tempo de casa era Lopes, que estava desde 1986 na diretoria jurídica e, em 2019, tinha sido nomeado vice-presidente. Os demais diretores tinham chegado à CBF na gestão de José Maria Marin, depois da Copa do Mundo de 2014.

As saídas que mais “surpreenderam” foram as de Ratto e Buzzoni. Ambos vinham tendo bons resultados em seus departamentos. Ratto conseguiu superar a crise de imagem da entidade com a prisão de José Maria Marin e o banimento de Marco Polo Del Nero do futebol, fechando novos contratos de patrocínio nos últimos dois anos. Já Buzzoni informatizou e organizou o registro de atletas, que em 2013 foi bastante questionado após o rebaixamento da Portuguesa à Série B do Campeonato Brasileiro por escalação irregular de um jogador. Desde então, são raros os casos de escalação irregular de atletas.

A demissão de Flores é parte do “acordo” que os clubes fizeram com Ednaldo Rodrigues para alçá-lo à presidência da CBF. Os dirigentes pressionaram o presidente para que o diretor de competições fosse afastado. A maior crítica dos cartolas dos clubes é pelo fato de o futebol brasileiro não parar nas datas de partidas da seleção, o que ocasiona desfalques importantes para as equipes dentro de competições como Brasileirão e Copa do Brasil.

Na próxima semana, a CBF organizará uma assembleia para a apresentação do balanço financeiro da entidade em 2022. Até lá, existe a expectativa de que Ednaldo Rodrigues apresente os novos diretores.

A CBF emitiu uma nota na noite desta terça-feira (12) para comunicar a saída dos executivos. A íntegra pode ser lida abaixo:

“A Confederação Brasileira de Futebol informa que, a partir desta data, não fazem mais parte do seu quadro diretivo o Sr. Carlos Eugênio Lopes, que exercia o cargo de Vice-Presidente Jurídico, o Sr. Gilberto Ratto, que exercia o cargo de Diretor de Marketing, o Sr. Manoel Flores, que ocupava a Diretoria de Competições, e o Sr. Reynaldo Buzzoni, que exercia o cargo de Diretor de Registro, Transferência e Licenciamento de Clubes. A CBF agradece aos quatro profissionais pelos serviços prestados, desejando êxito em seus próximos desafios”.