Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte
Futebol / Boa causa

Com Cafu e Aline Pellegrino, Fifa lança #ReachOut para discutir saúde mental

Redação Publicado em 02/08/2021, às 17h42

Imagem Com Cafu e Aline Pellegrino, Fifa lança #ReachOut para discutir saúde mental
Cafu é um dos rostos selecionados pela Fifa para campanha sobre saúde mental
Reprodução

A Fifa lançou, nesta segunda-feira (2), a campanha #ReachOut, que tem como objetivo aumentar a conscientização sobre os sintomas de problemas de saúde mental e incentivar as pessoas a procurar ajuda. A iniciativa conta com o apoio de ex-jogadores como os brasileiros Aline Pellegrino e Cafu, e faz parte de uma parceria da Organização Mundial da Saúde (OMS), da Associação das Nações do Sudeste Asiático (ASEAN) e da Fifa.

“Esta campanha é muito importante para aumentar a conscientização sobre as condições de saúde mental e incentivar uma conversa que pode salvar uma vida. Na Visão 2020-2023 da Fifa, assumimos nosso compromisso de fazer o futebol funcionar para a sociedade, e agradeço aos jogadores e à Sra. Enke, que contribuíram para essa importante iniciativa”, disse o presidente da Fifa, Gianni Infantino, que acrescentou:

“A depressão e a ansiedade afetam um número crescente de pessoas em todo o mundo, e os jovens estão entre os mais vulneráveis. Ter uma conversa com a família, os amigos ou um profissional de saúde pode ser fundamental”.

Além de Aline Pellegrino e Cafu, fazem parte da campanha Vero Boquete, estrela do futebol feminino espanhol, assim como Laura Georges, Luis García, Shabani Nonda, Patrizia Panico, Fara Williams e Walter Zenga.

Como parte da divulgação do projeto, a Fifa usou seu site para trazer experiências de atletas e familiares de atletas com depressão. O ex-atacante do Bolton e do Team GB (time olímpico britânico), Marvin Sordell, e Sonny Pike, que foi rotulado como "grande sucesso" aos 14 anos e viveu grave crise depressiva, falam sobre suas experiências. Já Teresa Enke, mãe do ex-goleiro da seleção alemã Robert Enke, que se suicidou, também discute a dor de perder o filho.

Segundo dados da Fifpro, entidade que trata de interesses de jogadores e ex-jogadores, entre os jogadores de futebol ativos, 23% relataram ter distúrbios do sono, enquanto 9% expuseram depressão e outros 7% disseram sofrer de ansiedade. Entre os jogadores aposentados, os números aumentam, com 28% lutando para dormir, e a depressão e a ansiedade afetando 13% e 11%, respectivamente.

“À medida que a pandemia de Covid-19 continua, é mais importante do que nunca cuidar da nossa saúde física e mental. A OMS tem o prazer de apoiar a campanha #ReachOut para incentivar as pessoas a falar sobre sua saúde mental”, afirmou o Dr. Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor geral da OMS.

A campanha está sendo compartilhada nos canais digitais da Fifa e foi repassada às 211 associações que são membras da entidade, além de veículos de mídia em todo o mundo.