Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte
Futebol / Dinheiro, muito dinheiro

Concorrência pode elevar direitos da Premier League nos EUA a US$ 300 milhões por ano

NBC, Disney, CBS e WarnerMedia são postulantes a abrir os cofres para ter torneio em 2022

Redação - São Paulo (SP) Publicado em 16/09/2021, às 11h22

Atual detentora dos direitos da Premier League nos EUA, NBC paga US$ 150 milhões por temporada - Reprodução
Atual detentora dos direitos da Premier League nos EUA, NBC paga US$ 150 milhões por temporada - Reprodução

NBC. Disney. CBS. WarnerMedia. Quatro gigantes da mídia. Todas interessadas em garantir os direitos de transmissão da Premier League nos Estados Unidos. E o que acontece quando tanta empresa grande e financeiramente potente está atrás de um objetivo? O objetivo aumenta seu preço.

A Bloomberg divulgou, nesta quarta-feira (15), que os direitos para transmitir o torneio em território americano a partir da temporada que vem podem alcançar um patamar de US$ 300 milhões por temporada. Em um contrato de seis anos, o valor chegaria a beirar os US$ 2 bilhões. Para se ter uma ideia, seria o dobro do que a dona atual dos direitos, a NBC, paga atualmente (US$ 150 milhões). O contrato termina nesta temporada.

A emissora, que faz parte do grupo Comcast, quer renovar o acordo. A Premier League tem sido um dos maiores impulsionadores de novos clientes para o Peacock, serviço de streaming da Comcast, e também uma grande atração na TV linear. As oito partidas diferentes por rodada atraíram mais de 1 milhão de telespectadores na NBC na temporada passada.

“Certamente queremos continuar nosso ótimo relacionamento com a Premier League. Agora em nossa nona temporada, trabalhamos juntos para impulsionar o crescimento do esporte nos Estados Unidos com uma produção inovadora e uma promoção incomparável”, afirmou a NBC, que acredita que os valores realmente podem dobrar, em um comunicado enviado à Bloomberg.

De acordo com a publicação, Disney, CBS e WarnerMedia também estão firmes no páreo. As três querem participar da licitação e devem usar como trunfo uma mistura de transmissão linear e streaming para garantir o negócio, com a Amazon, uma quinta gigante, também sendo considerada interessada como uma opção exclusiva para o streaming.

Pelo lado da Premier League, há um consenso de que o trabalho da NBC é feito de maneira correta e consegue internacionalizar o torneio de forma satisfatória. No entanto, sabe também que, ao colocar os direitos em leilão, pode alcançar cifras muito maiores que as atuais e até acima dos US$ 300 milhões por temporada, se a disputa se acirrar.

E dinheiro realmente não parece ser problema quando o assunto é o futebol das principais ligas europeias nos Estados Unidos. Recentemente, a Disney fechou com a LaLiga e pagará US$ 175 milhões por temporada para transmitir a competição nas várias plataformas da ESPN. E é um fato que, no mercado americano, a liga espanhola atrai muito menos atenção que a liga inglesa.