Conmebol não exige mais teste obrigatório de Covid-19 em Libertadores e Sul-Americana

Jogadores, porém, terão que ter esquema vacinal completo e serem afastados caso se contaminem

Quase dois anos e meio após a declaração de pandemia, os médicos especialistas da Comissão Conmebol Covid-19 concluíram que já existem as condições para a adoção da medida de isentar os times de apresentarem testes obrigatórios para Covid-19 antes dos jogos em suas competições, o que inclui a Libertadores e a Copa Sul-Americana, que estão em andamento.

Os médicos da Comissão Conmebol Covid-19, que estudaram os dados, os resultados dos protocolos sanitários, os relatórios atualizados da Organização Mundial da Saúde (OMS) e publicações científicas internacionais.

Segundo a Conmebol, “este é um passo crucial no caminho para a normalização final dos torneios da Confederação”.

Protocolos de saúde

Apesar da liberação do teste de Covid antes dos jogos, os times terão que seguir alguns protocolos de combate à doença. Os jogadores têm obrigatoriamente que terem passado pelo esquema completo de vacinação contra a doença. Independentemente da Conmebol, os clubes também têm que seguir as exigências sanitárias de cada país, cabendo à equipa médica de cada clube assegurar o estado de saúde de jogadores e membros da comissão técnica.

Há ainda um protocolo obrigatório a ser seguido caso seja detectado um caso positivo no time. Em primeiro lugar, é preciso informar imediatamente a Comissão Médica da Connmebol. O médico do clube será o responsável por acompanhar a evolução do infectado durante o período de isolamento, de acordo com as exigências sanitárias de cada país para casos sintomáticos e assintomáticos, bem como o cumprimento dessas regras.

A Comissão Médica da Conmebol é quem irá aprovar ou indeferir o pedido de alto assinado pelo médico do clube para casos positivos de Covid-19. Sem essa aprovação, um jogador não estará apto a entrar em campo nas competições sul-americanas.