Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte
Futebol / Estreia

Dior substitui Hugo Boss e adentra universo esportivo com patrocínio ao PSG

Multinacional de moda francesa será responsável por trajes casuais e formais do clube

Redação - São Paulo (SP) Publicado em 08/09/2021, às 08h25

Atletas como Neymar, Sergio Ramos, Verratti e Donnarumma serviram de modelos para anunciar parceria - Reprodução / https://www.psg.fr/
Atletas como Neymar, Sergio Ramos, Verratti e Donnarumma serviram de modelos para anunciar parceria - Reprodução / https://www.psg.fr/

A marca francesa de moda Dior é a mais nova multinacional a se aventurar no universo do marketing esportivo. A empresa fechou um acordo de patrocínio com o Paris Saint-Germain e substituirá a alemã Hugo Boss como parceira de moda do clube francês pelos próximos dois anos.

Para celebrar o acerto, a marca projetou uma série de novos trajes que abrangem situações casuais e formais, que vão de ternos a camisas polo embelezadas com o escudo do PSG. A coleção é assinada por Kim Jones, diretora artística das linhas masculinas da Dior.

O novo guarda-roupa do clube mescla preto e azul-marinho, o que leva a um tom especialmente desenhado para o time francês. O look casual consiste em uma jaqueta Harrington, um suéter e uma camisa polo de malha, todos realçados com um patch bordado “Paris Saint-Germain” e as iniciais “Ícone do CD”.

Atemporal, a roupa formal inclui um casaco de cashmere, jaqueta, camisa e calças, bem como um par de derbies de couro preto. Um detalhe é que a palmilha do calçado é gravada com uma película prateada com o número da camisa de cada um dos jogadores.

A nova parceria ainda serve para manter em alta a incursão do PSG no mundo da moda e estilo de vida nos últimos anos. Nesse período, o clube reformulou seu acordo de fornecimento de uniforme com a Nike, fazendo com que a marca Jordan, que faz parte do portfólio da multinacional americana de artigos esportivos, forneça as camisas do time. O movimento foi parcialmente influenciado pelo desejo do PSG de entrar com mais força no concorrido mercado americano.