Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte
Futebol / #NósOs15

Facebook lança série global de vídeos para incentivar o esporte entre os deficientes

Redação Publicado em 20/08/2021, às 22h05

Imagem Facebook lança série global de vídeos para incentivar o esporte entre os deficientes

O Facebook se uniu ao Comitê Paralímpico Internacional (IPC, na sigla em inglês) para lançar uma série de vídeos que mostra como o esporte criou uma mudança positiva para quatro comunidades com deficiência ao redor do mundo. A iniciativa serve como um apoio ao #NósOs15 (#WeThe15, em inglês), movimento global de direitos humanos criado para representar e acabar com a discriminação contra 1,2 bilhão de pessoas com deficiência (15% de todo o mundo).

Disponível no Facebook Watch, nas páginas do Facebook App e do Comitê Paralímpico Internacional no Facebook, a série de quatro episódios apresenta comunidades do Brasil, Reino Unido, Estados Unidos e Nova Zelândia. O intuito é mostrar como o Facebook permite que as comunidades cresçam e se reúnam de forma on-line, para depois ter como consequência o impacto no mundo real que essa comunidade tem off-line.

O episódio do Brasil apresenta Daniel Nunes, integrante da Associação Bola pra Frente Esportes Adaptados, time de futebol de São Paulo voltado para jogadores com deficiência, com foco em amputados. No vídeo, fica claro como a vida de Daniel foi impactada positivamente pelo esporte após um acidente de moto que levou à amputação de sua perna esquerda. Ele descobriu sobre futebol para amputados no Facebook e conheceu a associação que o abraçou. Agora, o grupo espera inspirar outras pessoas e também alcançar um número cada vez maior de pessoas com deficiência.

Divulgação / Facebook

Nos outros episódios, são retratados outros grupos, como o The Derby Wheelblazers, um time competitivo de basquete em cadeira de rodas do Reino Unido, o Te Arawa Swimming Club, um clube comunitário inclusivo em Rotorua, na Nova Zelândia, que acredita que a natação deve ser acessível a todos, e a comunidade Surf for All, de Nova York, nos Estados Unidos, uma organização sem fins lucrativos que leva pessoas com as mais diversas trajetórias de vida a experimentar a alegria do surfe.

Vale ressaltar que o IPC e a Aliança Internacional de Deficiência (International Disability Alliance, em inglês) estão reunindo a maior coalizão de organizações internacionais do mundo do esporte, direitos humanos, política, negócios, cultura e entretenimento para iniciar uma mudança. A campanha de uma década colocará a deficiência no centro da agenda de inclusão, ao lado de etnia, gênero e orientação sexual.