Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte
Futebol / Sem liga

Globo envia carta a clubes após Corinthians ir à Justiça contra Athletico

Erich Beting Publicado em 23/08/2021, às 11h40

Imagem Globo envia carta a clubes após Corinthians ir à Justiça contra Athletico
Globo enviou carta para os clubes
Reprodução

O final de semana foi agitado nos bastidores do futebol brasileiro. Na sexta-feira (20), o Corinthians anunciou que entraria com uma liminar na Justiça para impedir o Athletico Paranaense e a agência LiveMode de venderem os direitos de transmissão da partida entre os clubes para plataformas de assinatura.

O Corinthians não teve sucesso em seu pedido de barrar a transmissão, já que o juiz que recebeu a liminar reconheceu o argumento de que a Lei Pelé está vigente e que, por isso, mandante e visitante deveriam vender suas partidas em comum acordo, mas pediu mais prazo para analisar a argumentação jurídica. Com isso, o canal da rádio Jovem Pan no YouTube e o do streamer Nobru na Twitch mostraram o jogo sem qualquer problema para quem pagasse para acessar o conteúdo.

Na madrugada desta segunda-feira (23), porém, a discussão sobre direitos de transmissão do futebol brasileiro ganhou um novo capítulo. O Grupo Globo tornou público o envio de uma carta aos representantes dos 40 clubes das Séries A e B do Campeonato Brasileiro. Nela, a empresa tenta mostrar que é uma parceira dos clubes há quase 50 anos e ainda afirma que “alguns tentam nos colocar como opositores de vocês, clubes”.

A carta da Globo aos clubes surge no momento em que muito se questionou a ação movida pelo Corinthians na Justiça. Nas redes sociais, diversos torcedores afirmaram que a iniciativa teria partido da Globo, e o clube paulista apenas havia tentado ajudar seu maior parceiro comercial. O Athletico é o único dos 20 clubes da Série A do Brasileiro que não tem acordo com a Globo para a venda de pacotes de pay-per-view.

Outra discussão que tem ganhado vulto é a de que a emissora se oporia à venda de direitos de transmissão apenas pelo clube mandante, já que isso tiraria dela poder de manipular os acordos. O projeto da chamada “Lei do Mandante” foi recentemente aprovado no Congresso e aguarda apuração no Senado para poder virar lei.

“Queremos aproveitar para reforçar e registrar aqui nosso entendimento de que a alteração na legislação trazida pelo projeto de lei, já aprovado na Câmara dos Deputados, que dá ao time mandante os direitos de arena, caso seja esse o desejo de vocês, clubes, poderia ser mais um passo nessa evolução. Um avanço no caminho de dar mais autonomia e flexibilidade, desde que respeitados os contratos já celebrados, em prol da segurança jurídica de todo o sistema”, afirmou a Globo na carta.

A emissora ainda reforçou sua argumentação afirmando ser a favor de uma união dos clubes para negociar os direitos.

“Apoiamos a negociação coletiva dos clubes por seus direitos de transmissão, como ocorre nas principais ligas do mundo (mesmo em países que adotam na legislação o sistema dos direitos do mandante) para assegurar que os clubes consigam maximizar seus ganhos, sem causar desequilíbrio no mercado”.

Nos bastidores, a disputa entre Corinthians e Athletico foi mais um episódio que mostrou o desgaste do movimento de criação da Liga dos Clubes, ação que foi propalada aos quatro ventos pelos clubes no último mês de junho, mas que até agora não teve grandes avanços. A liga representaria os 40 clubes das Séries A e B.

Apesar do movimento inicial feito pelos clubes, a criação do grupo estacionou nas últimas semanas. Segundo apurou a reportagem da Máquina do Esporte, existe hoje um racha entre presidentes dos times, que isolou nomes como Guilherme Bellintani, do Bahia, e Mário Celso Petraglia, do Athletico. Isso esfriou o ímpeto da criação da liga.

A carta da Globo, nesse sentido, traz um novo ingrediente para a discussão.

Confira a seguir a íntegra da carta enviada pela emissora aos clubes:

Aos 40 clubes da Série A e B do Campeonato Brasileiro de Futebol 2021,

Nos últimos meses muito tem se falado da relação da Globo com o futebol. Alguns tentam nos colocar como opositores de vocês, clubes. Em quase cinco décadas de parceria e investimentos, temos certeza que nossos caminhos foram convergentes e tiveram objetivo comum: um futebol forte e equilibrado para o torcedor. Como em toda parceria, existiram divergências que foram resolvidas com diálogo e negociação, sem perder de foco o objetivo de fortalecer a maior paixão nacional.

Não podemos deixar de lembrar dessa história, que foi dedicada à valorização do esporte que é a paixão de todos nós. Desde a década de 70, a Globo transmite as competições dos clubes do futebol brasileiro. Na década de 90 ajudamos na organização do calendário e na padronização do sistema de disputas das competições nacionais. Em 1997 criamos com vocês o PPV do futebol nacional, do qual somos sócios. Em 2003 foi criada a fórmula de disputa atual do Campeonato Brasileiro, com o sistema de pontos corridos e, mais recentemente, a partir de 2019, construímos juntos um novo modelo mais justo e equilibrado de divisão de receita dos direitos transmissão, seguindo as experiências de sucesso das ligas europeias de futebol. Esses são alguns poucos exemplos importantes da nossa trajetória conjunta.

Acreditamos muito no futebol brasileiro e, por isso, nunca medimos esforços para desenvolvê-lo como um negócio lucrativo para todas as partes. Destinamos bilhões de reais aos direitos de transmissão todos os anos. Fora o alto investimento na promoção das competições, na contratação dos melhores profissionais para as transmissões e cobertura dos jogos e na implantação de tecnologia de ponta para entregar ao torcedor transmissão de alta qualidade nas diversas plataformas. Nenhuma outra empresa investe tanto, e com tanta consistência, no futebol nacional. Nossa esperança se amplia nesse novo momento em que o futebol aponta para uma maior união entre os clubes, algo que acreditamos ser fundamental para o melhor desenvolvimento do Campeonato Brasileiro.

Queremos aproveitar para reforçar e registrar aqui nosso entendimento de que a alteração na legislação trazida pelo projeto de lei, já aprovado na Câmara dos Deputados, que dá ao time mandante os direitos de arena, caso seja esse o desejo de vocês clubes, poderia ser mais um passo nessa evolução. Um avanço no caminho de dar mais autonomia e flexibilidade, desde que respeitados os contratos já celebrados, em prol da segurança jurídica de todo o sistema. Inclusive apoiamos a negociação coletiva dos clubes por seus direitos de transmissão, como ocorre nas principais ligas do mundo (mesmo em países que adotam na legislação o sistema dos direitos do mandante) para assegurar que os clubes consigam maximizar seus ganhos, sem causar desequilíbrio no mercado.

Independentemente do modelo de negociação, a Globo manterá sua parceria histórica com os clubes, suas Federações e com o futebol brasileiro, contribuindo para o desenvolvimento de todo o mercado e para o engrandecimento do espetáculo. Quem ganha são os torcedores de cada um de vocês, apaixonados por futebol, assim como nós.

Saudações esportivas.

TV Globo, SporTV, Premiere e GE