Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte
Futebol / Queda de braço

Justiça dá mais poder a interventores da CBF

Redação Publicado em 29/07/2021, às 10h43

Imagem Justiça dá mais poder a interventores da CBF
Reinaldo Carneiro Bastos, presidente da Federação Paulista, foi nomeado interventor da CBF

A disputa pelo poder dentro da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) ficou ainda mais acirrada depois de a Justiça do Rio de Janeiro, que já havia nomeado os presidentes do Flamengo e da Federação Paulista de Futebol interventores da entidade, decidir que Rodolfo Landim e Reinaldo Carneiro Bastos estariam livres para destituir a atual diretoria da CBF.

No despacho proferido pelo juiz da 2ª Vara Cível da Vara da Tijuca, Landim e Bastos têm até o dia 3 de agosto para informar se aceitam ser interventores da CBF. Agora, além de permitir à dupla realizar mudanças na gestão da entidade, o juiz obriga-os a indicar um dos oito vice-presidentes da CBF para assumir a entidade até a realização de novas eleições.

A entidade máxima do futebol brasileiro já havia informado que recorreria da primeira decisão que nomeou Landim e Bastos como interventores. Até agora, porém, não houve um movimento prático nessa direção. Com a nova decisão dada pela Justiça, é possível que o processo seja acelerado. A CBF argumenta que o juiz fere a Lei Pelé ao acatar pedido do Ministério Público para anular a Assembleia Geral de 2017 da entidade que mudou o colégio eleitoral e permitiu a reeleição de Rogério Caboclo. Naquele ano, havia um movimento de oposição, que tinha Reinaldo Carneiro Bastos como um dos líderes além de alguns clubes, que pretendia formar uma chapa para concorrer à presidência. A mudança estatutária provocada por aquela Assembleia, porém, sepultou as chances de ser criada uma chapa de oposição. Desde então, o MP pediu para que a Justiça considerasse nula a Assembleia e a eleição realizada no ano seguinte.

Até agora, Landim e Bastos não disseram se vão acatar a decisão judicial. Em nota conjunta, ambos afirmam que vão dialogar com clubes, entidades e advogados para tomar uma decisão. Landim já usou o grupo de WhatsApp com os presidentes dos 40 clubes das Séries A e B, que foi formado para debater a criação da Liga de Clubes, para afirmar que só aceitará a “missão” caso todos estejam a favor.

Se os dois não aceitarem a escolha da Justiça, será preciso escolher dois novos interventores para a entidade. No despacho, o juiz afirma que escolheu os presidentes de Flamengo e FPF por “representatividade” no cenário futebolístico nacional.