Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte
Futebol / Sem torcida

Prefeitura do Rio acha difícil permitir público na final do Carioca

Redação Publicado em 14/05/2021, às 17h47

Imagem Prefeitura do Rio acha difícil permitir público na final do Carioca
Primeira partida da final terá portões fechados; público no jogo decisivo passará por avaliação da secretaria de Saúde do Rio
Divulgação

A prefeitura do Rio de Janeiro disse que vai analisar durante a semana o pedido feito pelo Flamengo para que o último jogo da final do Campeonato Carioca, contra o Fluminense, no dia 22 de maio, tenha a presença de torcedores no estádio do Maracanã.

Em entrevista coletiva na manhã desta sexta-feira (14), o prefeito Eduardo Paes e o secretário de Saúde Daniel Soranz afirmaram que será feito um estudo para analisar a presença de torcedores, mas ambos disseram acreditar ser pouco provável que isso aconteça.

“Se a gente olhar e comparar o que está acontecendo em outras cidades, estados e locais, isso (a volta do público) é bem pouco provável. É óbvio que tecnicamente todas as análises vão ser feitas, mas é muito pouco provável que a gente consiga uma liberação já para a próxima semana”, disse Soranz, que prometeu até terça-feira dar o veredicto sobre a presença de público.

Questionado recentemente por atitudes contraditórias durante a pandemia, Eduardo Paes foi mais evasivo ao responder e jogou nas mãos da pasta da Saúde a tomada de decisão.

“Eu fui procurado por alguns dirigentes. Mas é a Secretaria de Saúde quem analisa e avalia. Eu tenho a impressão de que, pelo que acontece pelo mundo, em lugares que já estão mais avançados com a vacina, que seja difícil (liberar o estádio para a torcida). Mas essa é uma decisão da Secretaria de Saúde, das autoridades sanitárias do município, não é minha”, disse o político.

Na última quarta-feira, representantes de Flamengo, Fluminense, Botafogo e Vasco (que farão a final da Taça Rio) fizeram uma reunião virtual com representante da Federação Estadual de Futebol do Rio de Janeiro (Ferj). O único clube que quis o retorno dos torcedores foi o Flamengo. Os outros três seguem se posicionando contra a volta do público.