Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte
Futebol / De volta?

Prefeitura libera Maracanã para 10% do público, e Flamengo reclama

Redação Publicado em 30/07/2021, às 15h25

Imagem Prefeitura libera Maracanã para 10% do público, e Flamengo reclama

A prefeitura do Rio de Janeiro acatou a um pedido do Flamengo para colocar torcedores dentro do estádio do Maracanã já no próximo dia 18 de agosto, quando está marcado o jogo de volta das quartas de final da Conmebol Libertadores, contra o Olímpia, do Paraguai.

Na manhã desta sexta-feira (30), a prefeitura informou que 10% da capacidade de público do estádio poderá ir para o jogo. Para isso, porém, será necessário apresentar comprovante de vacinação contra a Covid-19 com mais de 15 dias ou teste PCR negativo para a doença com até 48h de antecedência da data da partida.

A resolução da prefeitura foi tomada após um pedido especial feito pelo Flamengo, que não gostou de ter o desejo atendido com o limite de 10% de capacidade do Maracanã. Em seu perfil no Twitter, o vice-presidente geral e da Procuradoria Geral do Rubro Negro, Rodrigo Dunshee de Abrantes, considerou a medida “insustentável financeiramente”.

Flamengo poderá levar até 10% da capacidade de público do Maracanã no jogo contra o Olímpia
Twitter/Maracanã

“Dez por cento (da capacidade) não é economicamente sustentável. Dez por cento foi o que deram em janeiro para a Libertadores (a final do torneio continental contou com 300 convidados). Com testagem era seguro 30%, como Belo Horizonte, Cuiabá, Brasília, etc. Abrir o Maracanã para público custa caro. Tem uma logística grande”, afirmou o dirigente, que antes disso havia dito que haveria outras perdas econômicas com a decisão.

“Perde o Rio de Janeiro, perde o turismo, perde a Fazenda Pública e perde, principalmente, o carioca. Temos para onde levar nossos jogos. Vida que segue...”, afirmou.

Dunshee tem usado suas redes sociais para justificar as posições tomadas pelo clube em favor da reabertura dos estádios e mesmo da volta antecipada do futebol, como aconteceu no ano passado no Campeonato Carioca.

O Flamengo deixou de arrecadar considerável fonte de receita com os portões fechados desde março de 2020. O clube já se opôs publicamente contra a CBF no ano passado por querer que os estádios voltassem a abrir antes mesmo de a vacinação contra a Covid ter começado no Brasil.