Premier League gera US$ 10,4 bilhões para economia do Reino Unido, diz relatório

A Premier League gerou um impacto econômico de US$ 10,4 bilhões no Reino Unido, segundo relatório da Ernst & Young encomendado pela liga referente à temporada 2019/2020. A competição impactou todo o país, já que Londres gerou apenas 28% desses benefícios.

A Premier League gerou 94 mil empregos, que pagaram cerca de US$ 4 bilhões em salários ao longo da temporada. Os clubes desembolsaram US$ 4,9 bilhões em impostos e foram gastos US$ 2,5 bilhões com a cadeia de suprimentos.

Outro dado que merece destaque é que os jogos atraíram milhares de visitantes estrangeiros ao Reino Unido, gerando mais US$ 602 milhões.

A liga, que teve início em 1992, nem sempre ofereceu tanto à riqueza do país. Sua contribuição cresceu cerca de 840% desde a temporada 1998/1999.

A pandemia, obviamente, teve impacto negativo no faturamento da Premier League. Ao todo, o mercado europeu de futebol perdeu US$ 29,7 bilhões, segundo relatório da Deloitte, o que representou uma queda de 13% na arrecadação.

Algumas perdas foram amenizadas com um fundo de US$ 7,1 bilhões liberado pela UEFA. A Premier League também liberou uma ajuda de US$ 341 milhões.

De acordo com projeção da Ernst & Young, uma temporada sem enfrentar problemas com a pandemia teria feito a Premier League aumentar sua contribuição à economia local em 15% ou um total de US$ 11,9 bilhões.