Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte
Futebol / Gestão

Presidente da UEFA sugere presença de sul-americanos na Liga das Nações

Aleksander Ceferin afirmou que seleções europeias sentem falta de enfrentar Brasil, Argentina e Uruguai

Redação - São Paulo (SP) Publicado em 11/03/2022, às 10h27 - Atualizado às 10h31

Uma das principais reclamações de Tite é a ausência de jogos contra seleções europeias - Lucas Figueiredo / CBF
Uma das principais reclamações de Tite é a ausência de jogos contra seleções europeias - Lucas Figueiredo / CBF

O presidente da UEFA, Aleksander Ceferin, sugeriu que as equipes sul-americanas poderiam disputar a Liga das Nações em um futuro próximo. Em entrevista à Globo, o dirigente disse que é uma opção “viável” integrar seleções sul-americanas na competição que a UEFA introduziu em 2018 para rejuvenescer partidas internacionais e descartar amistosos.

“Depois da criação da Liga das Nações, nossos times não jogam mais tantos amistosos. Os grandes times sentem falta de jogar contra Brasil, Argentina e Uruguai. Eles nos dizem que gostariam de jogar. Isso seria uma coisa muito boa, mas ainda não estamos no ponto de compartilhar isso com o público”, disse Ceferin.

A falta de intercâmbio com as seleções europeias também irrita os países sul-americanos. A eliminação do Brasil na Copa do Mundo de 2018 pela Bélgica abalou o técnico Tite, que lamentou repetidamente que a seleção brasileira não tenha mais chances de enfrentar times europeus ao longo do ciclo do Mundial.

“É ainda mais difícil para os sul-americanos jogarem a Copa do Mundo contra seleções europeias porque é um estilo de jogo diferente. E vocês são apenas dez na América do Sul, nós somos 55. Então, temos mais equipes de qualidade. Talvez esta seja uma das razões pelas quais o futebol europeu vem dominando as Copas do Mundo desde 2006”, afirmou o dirigente.

As declarações de Ceferin mostram a aproximação entre UEFA e CONMEBOL, que bloquearam a iniciativa da FIFA de realizar uma Copa do Mundo a cada dois anos. As confederações assinaram um memorando de entendimento para que a campeã da Euro, a Itália, enfrente a vencedora da Copa América, a Argentina, em uma partida batizada de “Finalissima“. O jogo será no Estádio de Wembley, em Londres, em um esforço que as entidades chamam de “ampliação de sua cooperação existente”.

Uma Liga das Nações com a presença de sul-americanos seria a pá de cal no sonho da FIFA de realizar uma Copa do Mundo bienal. Em dezembro, o ex-jogador Zbigniew Boniek, atual vice-presidente da UEFA, afirmou que os dez países sul-americanos ingressariam na Liga das Nações até 2024.