Real Madrid assina com Legends e Sixth Street para exploração comercial do Santiago Bernabéu

O Real Madrid assinou um acordo com a Legends e a Sixth Street, que ficaram com 30% da nova empresa que fará a exploração comercial do Estádio Santiago Bernabéu pelos próximos 20 anos. Pelo contrato, o time merengue receberá € 360 milhões.

Segundo o clube, a chegada dos dois parceiros “será essencial para proporcionar experiências únicas num estádio onde se podem realizar vários eventos ao longo do ano”.

A aliança previa inicialmente uma duração de 25 anos e uma participação de 20%, mas ao final foi escolhido um período menor e um pacote acionário maior. A rentabilidade para os novos acionistas dependerá dos lucros gerados pela organização de shows musicais e outros eventos no local, bem como do funcionamento de um hotel, do museu e das áreas comerciais do entorno do estádio.

A Sixth Street, que já é dona da gestora de arenas esportivas Duet Sports, dará impulso econômico para a operação. Já a Legends “contribuirá com sua experiência e conhecimento na operação de grandes arenas e centros de lazer, permitindo a otimização da gestão do estádio”.

O tempo de contrato praticamente coincidiu com o do pagamento da dívida que o Real Madrid contraiu para financiar as obras de remodelação do estádio. Em 2019, o time espanhol assinou um empréstimo de € 575 milhões com taxa de juro fixa de 2,5%, com um plano de amortização anual de € 29,5 milhões entre 2023 e 2049. No final de 2021, obteve mais € 225 milhões ao longo de 27 anos, com juros de 1,53%.

Esta segunda parcela de financiamento foi necessária para a colocação do teto retrátil, que permitirá o aumento do número de dias de utilização da instalação para fins não esportivos. Assim, quando não houver futebol, o Santiago Bernabéu poderá sediar shows, feiras e congressos, entre outros eventos. A ideia é atrair jogos da NBA, da NFL e também torneios de tênis.

Planejamento financeiro

O Real Madrid não divulgou se usará o aporte financeiro dos novos sócios para quitar parte da dívida de maneira antecipada ou se utilizará o dinheiro na promoção de novos eventos. ”Podemos investir o dinheiro em qualquer uma das nossas linhas de atividade”, afirmou o comunicado divulgado pelo clube.

Em 2020, o presidente Florentino Pérez assegurou que o volume de negócios anual da instalação poderia aumentar em € 150 milhões por ano. Para isso, foi proposta a abertura de uma segunda loja oficial no outro extremo do estádio e a transformação do interior do Santiago Bernabéu em um grande centro comercial, com pontos de venda das mais prestigiadas marcas de eletrônicos e de consumo. No total, serão 31,4 mil metros quadrados de superfície para usos complementares.

Para 2021/2022, a previsão da diretoria é que o clube volte a ultrapassar o faturamento de € 800 milhões. Por conta disso, o Real Madrid não pretende fazer novos empréstimos para manter suas operações. A ideia é conter os gastos e aumentar a rentabilidade em uma temporada que tem se caracterizado pela retomada econômica após a fase mais aguda da pandemia.