Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte
Futebol / órfã

Sem sede, reunião decide futuro da Copa América

Redação Publicado em 31/05/2021, às 10h05

Imagem Sem sede, reunião decide futuro da Copa América

A 13 dias de seu início, a Copa América está órfã. Na noite de domingo, a Conmebol anunciou que a Argentina não será mais a sede do torneio, já que a pandemia se agravou no país e a maioria da população se colocava contra a realização da competição.

Até a última semana, a Conmebol tinha a Argentina como sede única do torneio, após desistir de abrigar o torneio na Colômbia por conta da instabilidade política do país, que há pelo menos um mês convive com protestos contra o governo, e depois de não conseguir ter a garantia de Chile e Uruguai de que seria possível fazer com que as partidas de semifinal, disputa de terceiro lugar e final fossem disputadas com a presença de torcedores nos estádios.

“A Conmebol informa que, em atenção às circunstâncias presentes, resolveu suspender a organização da Copa América na Argentina. A Conmebol analisa a oferta de outros países que mostraram interesse em abrigar o torneio continental. Em breve serão anunciadas novidades nesse sentido”, afirmou a entidade num comunicado na noite deste domingo.

Copa América seria em 2020, na Argentina e na Colômbia, mas pandemia adiou torneio para 2021
Divulgação

Uma reunião na sede da entidade sul-americana, no Paraguai, na manhã desta segunda-feira, servirá para definir qual o futuro da competição. O Paraguai, sede da entidade, aparece como uma solução-tampão para que o torneio aconteça. O Uruguai, país em que nasceu o presidente da Conmebol, Alejandro Dominguez, é outra hipótese. O Chile também poderia ser a alternativa, até como uma forma de “compensação” pelo país ter perdido o direito de sediar a final da Conmebol Libertadores em 2019 às vésperas da data da partida.

O cancelamento da edição do torneio é a última hipótese a ser trabalhada pela Conmebol. Com os direitos comerciais negociados pela agência Dentsu, a Copa América já havia conseguido um faturamento de mais de US$ 200 milhões entre direitos de mídia e patrocínios.

Ao não fazer a edição, a agência e a Conmebol terão de devolver a receita para os parceiros, o que causaria enorme prejuízo a ambos. A Copa América será transmitida no Brasil pelo SBT. Os principais patrocinadores do torneio são TCL, ABInbev, MasterCard e Kwai.