Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte
Futebol / Não passarão

Times e atletas se unem em caso de estupro

Redação Publicado em 04/11/2020, às 10h48

Imagem Times e atletas se unem em caso de estupro

Duas semanas após a polêmica entre Santos e Robinho, em que o clube foi pressionado a romper o acordo com o jogador, o futebol mais uma vez colocou a discussão sobre estupro no centro das atenções. Mas, dessa vez, para se manifestar contra um caso, com veemência, pelas redes sociais.

O problema dessa vez foi o "Caso Mariana Ferrer". Na terça-feira (3), o site "The Intercept Brasil" divulgou imagens do julgamento de André de Camargo Aranha, um empresário de jogador, que foi acusado de estuprar Mariana em 2018. Os vídeos mostram a humilhação sofrida pela vítima ao longo do processo. E o juiz ainda aceitou o argumento de que Aranha não sabia que ela não estava em condições de consentir a relação e, portanto, se tratava de um "estupro culposo". Como o crime não existe na Lei brasileira, o réu acabou sendo inocentado.

Até o fechamento desta edição, mais da metade dos times da Série A do Campeonato Brasileiro havia se manifestado sobre o caso. Sport, São Paulo, Coritiba, Fortaleza, Goiás, Botafogo, Internacional, Fluminense, Vasco, Corinthians, Flamengo e Palmeiras pediram justiça para o caso e reforçaram que "estupro culposo não existe". Equipes de outras divisões, como Cruzeiro, América-MG e Chapecoense também se mostraram solidárias ao caso e publicaram mensagens de apoio.


Alguns desses clubes, inclusive, lembraram de campanhas recentes contra o machismo no futebol. O Bahia, por exemplo, resgatou o site "Me Deixe Torcer", criado para combater o assédio em estádios de futebol. Outros reforçaram o número 180, a Central de Atendimento à Mulher, para fazer denúncias.

O caso também chegou a jogadores, que mostraram suporte a Mariana. Desde João Peglow, jovem do Internacional e da seleção de base, até Richarlison, hoje da seleção principal, o assunto rondou os atletas. O atacante Yuri, do Atlético-GO, jogou com um X na palma da mão para pedir justiça para Mariana.

Por outro lado, a equipe mais envolvida na recente polêmica com Robinho, o Santos, foi um dos poucos que preferiu o silêncio. O clube não se manifestou sobre o caso em nenhuma rede social ou mesmo no site oficial.

Para além do mundo do esporte, o caso Mariana Ferrer teve grande repercussão ao longo do dia, com demonstrações de indignação de diversas celebridades. Até o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, declarou que as cenas do julgamento remetem à "tortura e humilhação" da vítima.