Futebol

Umbro exige reunião para discutir 'Caso Robinho'

por Redação - São Paulo (SP)
A
A

A Umbro, fornecedora de material esportivo do Santos, é mais uma patrocinadora da equipe a fazer pressão contra a contratação de Robinho, condenado na Itália por violência sexual. Desde a chegada do atleta, parceiros da equipe têm discursado na mesma direção.

Em comunicado, a empresa afirmou que “solicitou para a próxima semana uma reunião extraordinária com a diretoria do Santos” para apresentar “todos os fatores de risco referentes ao caso do atleta Robinho”.

publicidade
Robinho já treina no Santos (Foto: Ivan Storti/Santos FC)
Robinho já treina no Santos (Foto: Ivan Storti/Santos FC)
publicidade

Segundo a Umbro, o posicionamento oficial da companhia sobre o caso sairá após essa reunião, ainda que a retirada imediata do patrocínio não seja simples. “Como fornecedora de material esportivo, diferentemente de um patrocínio comum, a Umbro tem por contrato um amplo calendário de entregas com todos os ativos do clube, além de lojistas e todo ecossistema comercial, com os quais terá que arcar ainda em 2020”, explicou a comunicação da empresa.

Nesta sexta-feira (16), a Brahma se posicionou com veemência sobre o caso. Com o contrato expirado, a empresa afirmou que só renovará o patrocínio caso o jogador seja demitido.

E a empresa não está sozinha. Ainda que nem todas não tenham se posicionado publicamente, Kodilar, Kicaldo, Philco, Casa de Apostas, FoxLux e Tekbond condicionam a permanência na equipe à desistência da contratação de Robinho.

A Orthopride já se adiantou. Nesta semana, após o anúncio de contratação do atacante, a empresa resolveu romper com a equipe paulista.

publicidade

Estreia do Flamengo levanta audiência da Copa do Brasil