Alfa Romeo acha difícil conseguir patrocínios na China, apesar de piloto Zhou Guanyu

Frédéric Vasseur, chefe de equipe, diz que 1º piloto do país na F1 ainda não atraiu novos parceiros

A Alfa Romeo afirma que está difícil conseguir patrocinadores na China, apesar da presença do piloto Zhou Guanyu na equipe de Fórmula 1. Frédéric Vasseur, chefe de equipe, porém, disse que começa a aparecer mais sinais de interesse de empresas do país em fazer parceria comercial com a Alfa Romeo.

“Temos a sensação, porque temos muito contato, que está começando a funcionar. Mas é bem lento”, afirmou o dirigente, em entrevista à Autosport.

Guanyu se tornou nesta temporada o primeiro piloto chinês a competir em tempo integral na principal categoria do automobilismo. Parte da iniciativa de contratar o piloto de 23 anos foi o potencial de abrir oportunidades comerciais para a equipe em seu país de origem.

Atratividade baixa

Apesar de a Alfa Rome ter firmado parcerias com algumas empresas chinesas, incluindo a marca de laticínios AMX, Vasseur admitiu que a chegada de Zhou não causou o efeito que a equipe esperava.

“Até agora foi um pouco difícil. Assinamos com a SenseTime e já tínhamos AMX no passado, que são os dois principais patrocinadores que temos da China”, contou o dirigente.

“Talvez leve tempo. Estou convencido, mas talvez Zhou tenha que marcar [mais pontos] primeiro e entregar primeiro para atrair novos patrocinadores”, acrescentou.

“Até agora foi um pouco difícil. Assinamos com a SenseTime e já tínhamos AMX no passado, que são os dois principais patrocinadores que temos da China”

Frédéric Vasseur, chefe de equipe da Alfa Romeo

Embora Vasseur mostre estar preparado para atrair investimentos a longo prazo, o dirigente afirmou que qualquer patrocínio seria um bônus por ter Guanyu. Segundo ele, a presença do chinês na equipe não foi a única razão para assinarem com o ex-piloto de Fórmula 2 e piloto de testes da Alpine.

“Assinamos agora nosso segundo patrocinador chinês [SenseTime] e estou feliz com isso. Sei que será um processo longo”, diz Vasseur.

Vasseur afirmou que chegou a conversar com Guanyu sobre as críticas de que ele só foi escolhido por causa de dinheiro.

“Eu disse: 'Zhou, não importa, você vai ter que fazer seu trabalho. Não importa o que eles estão pensando e o que estão dizendo hoje. Você vai ter que fazer seu trabalho e você tem todo o apoio da equipe e isso é o mais importante. 'Então mostre a todos que você é capaz de fazer isso’”, contou Vasseur.

Desempenho fraco

Guanyu marcou cinco pontos até agora em sua temporada de estreia na F1, tendo terminado em décimo em sua corrida de estreia no Grande Prêmio do Bahrein e em oitavo no Grande Prêmio do Canadá. Ele ocupa a 17ª posição na classificação geral. Como comparação, seu companheiro de equipe, o finlandês Valtteri Bottas, já marcou 46 pontos e é o nono colocado no Mundial de Pilotos.

Embora sua presença não tenha dado início a uma onda de acordos comerciais para a Alfa Romeo até agora, a própria direção da F1 poderia agradecê-lo por um de seus acordos. Em março, a categoria apresentou a empresa de tecnologia chinesa Lenovo como parceira oficial antes da temporada de 2022.