Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte
Motor / Sucesso

F1 alavanca audiência com “forcinha” de Netflix, Verstappen e espanhóis

Redação Publicado em 08/06/2021, às 10h31

Imagem F1 alavanca audiência com “forcinha” de Netflix, Verstappen e espanhóis
Série documental original da Netflix mostra bastidores inéditos e tem feito sucesso entre os fãs da F1
Reprodução

A Fórmula 1 vem ganhando, em 2021, um impulso de audiência poucas vezes visto nos últimos anos. Mesmo com uma série de restrições com relação a público nas corridas e até cancelamento de GPs por conta da pandemia do coronavírus, a temporada vem experimentando um aumento do interesse por parte dos fãs, como mostra uma análise feita pelo site britânico SportsPro Media.

De acordo com a publicação, o primeiro fator a explicar o crescimento é a série documental “Drive to Survive”, da Netflix, que mostra os bastidores do paddock. A série original da plataforma de streaming estreou em 8 de março de 2019 com uma visão exclusiva e “por dentro” da temporada de 2018. Desde então, foram três temporadas atraindo cada vez mais jovens ao redor do mundo por conta da linguagem acessível e, claro, do ineditismo de boa parte do conteúdo. O resultado disso? Um aumento nos números de audiência de televisão.

Nos Estados Unidos, por exemplo, país em que a F1 sempre encontrou rivais “da casa” como Nascar e Indy no coração dos fãs, o Grande Prêmio de Mônaco, disputado há duas semanas, foi o mais assistido entre as temporadas de 2020 e 2021. Um total de 940 mil televisores foram ligados na ESPN americana para ver a vitória que deu a liderança do campeonato pelo primeira vez ao holandês Max Verstappen. No geral, foi a quarta maior audiência em uma corrida da categoria já registrada na TV a cabo do país.

Por falar no piloto da Red Bull, ele é outro dos motivos para o aumento do interesse e, consequentemente, da audiência da F1. Com o predomínio de Lewis Hamilton desde 2014, período em que o inglês conquistou seis títulos e perdeu apenas um, em 2016, para o então companheiro Nico Rosberg, a falta de competitividade minou um pouco o apetite dos fãs. Agora, com a disputa aberta entre Hamilton e Verstappen, o público parece cada vez mais atraído.

Em 2021, Max Verstappen tenta primeiro título da Holanda na F1 diante do heptacampeão Lewis Hamilton
Reprodução (formula1.com)

Além disso, também há mais um fator de dentro das pistas que está elevando a audiência na Espanha, por exemplo. O retorno do bicampeão e ídolo Fernando Alonso, além da ida de Carlos Sainz para a Ferrari, equipe mais simbólica e tradicional da F1, alavancou o interesse dos espanhóis. Dados da Nielsen Sports revelaram que o interesse do público do país é o maior desde 2017. O GP de Portugal de 2021, por exemplo, teve uma audiência 159% maior do que a mesma prova de 2020.

Segundo o SportsPro Media, todo esse sucesso pode ser visto também no e-Sports. Após a recente introdução da categoria Women’s Wildcard e o sucesso do Virtual Grand Prix em 2020 (ano em que a temporada real foi atrasada em quatro meses), a Fórmula 1 anunciou que mais de 494 mil pessoas tentaram se qualificar para a e-Sports Series em 2021, um aumento de 108% em relação ao ano passado.

No Brasil, o interesse dos fãs também parece ter aumentado com a mudança de casa da categoria para a Band após 41 anos seguidos na Globo. A emissora paulista tem tratado a F1 como o “filé” de sua programação nos finais de semana de corrida, com ampla cobertura desde os treinos livres de sexta-feira até programas de pré e pós-prova no domingo, seja no canal aberto, seja no BandSports. Por enquanto, os números alcançados são mais interessantes para a própria emissora paulista do que para a categoria em si, mas, com a briga acirrada pelo título, a tendência é que, até o final do ano, as coisas melhorem ainda mais.

Sem um piloto brasileiro para torcer desde o final da temporada de 2017, quando Felipe Massa se aposentou (com exceção de duas corridas no final de 2020 em que Pietro Fittipaldi substituiu Romain Grosjean após o francês quase morrer no GP do Bahrein), parece que a disputa entre Hamilton e Verstappen, além de uma emissora que tem dado mais atenção à categoria, podem ser motivos suficientes para “trazer de volta” muitos daqueles fãs que, até pouco tempo, viviam apenas de lembranças saudosas dos tempos em que Emerson Fittipaldi, Nelson Piquet e Ayrton Senna dominavam as pistas ao redor do mundo.