Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte
Motor / 22 provas em 2021

F1 ratifica força no mercado do Oriente Médio com GP do Catar

País árabe receberá prova já nesta temporada e, depois, por dez anos a partir de 2023

Redação - São Paulo (SP) Publicado em 30/09/2021, às 08h18

Circuito Internacional de Losail, em Doha, que recebe a MotoGP desde 2004, sediará GP do Catar de F1 em 2021 - Reprodução / Twitter (@F1)
Circuito Internacional de Losail, em Doha, que recebe a MotoGP desde 2004, sediará GP do Catar de F1 em 2021 - Reprodução / Twitter (@F1)

A Fórmula 1 anunciou, nesta quinta-feira (30), um acordo com o Catar para a realização do primeiro Grande Prêmio da categoria no país já neste ano, entre 19 e 21 de novembro, exatamente na semana após o GP de São Paulo, no Brasil. O contrato, no entanto, não para por aí. O país árabe assinou para sediar provas de F1 por dez anos a partir de 2023.

O local escolhido para 2021 é o Circuito Internacional de Losail, em Doha, o mesmo que recebe provas da MotoGP desde 2004. Além disso, o patrocinador máster do evento também foi divulgado e será a multinacional de telecomunicações Ooredoo, que tem sua sede justamente no Catar. De 2023 em diante, porém, o circuito anfitrião ainda será anunciado.

Com o acerto, a Fórmula 1 ratifica a força que o Oriente Médio vem ganhando na categoria. Nesta temporada, as três últimas provas do calendário, que provavelmente decidirão o título entre Lewis Hamilton e Max Verstappen, serão na região. Além do Catar, a F1 estreará na Arábia Saudita (3 a 5 de dezembro) e encerrará o ano mais uma vez nos Emirados Árabes Unidos, com o GP de Abu Dhabi (10 a 12 de dezembro).

O acordo ainda comprova o foco do país árabe em receber grandes eventos esportivos para ganhar cada vez mais visibilidade internacional. Em 2022, não sediará uma prova de F1 porque justamente na mesma época do ano estará organizando a Copa do Mundo da FIFA.

Vale lembrar que a F1 tinha como objetivo ter uma temporada de 2021 com 22 corridas. Por conta da pandemia e de alguns cancelamentos de provas (como Austrália, Canadá e Japão), esse número ainda não tinha sido alcançado. Com a corrida no Catar confirmada, as 22 provas estão garantidas.

“Havia uma forte vontade do Catar de ajudar a F1 e, no decorrer desse processo, a visão para uma parceria mais longa foi discutida e acordada por dez anos. O passo para uma estratégia de longo prazo foi curto e simples, e a visão de que a F1 seria a vitrine do Catar após a Copa do Mundo FIFA em 2022 foi a força motriz por trás deste acordo de longo prazo”, destacou a F1, em comunicado oficial.

“Este é um dia muito especial para o esporte a motor do Catar e as ambições da nossa nação de ser anfitriã de grandes eventos esportivos. Estou muito orgulhoso por termos sido capazes de apoiar a Fórmula 1 entrando e hospedando uma corrida em nosso país em um período de tempo tão curto, ao mesmo tempo que garantimos um acordo inovador de longo prazo. Este acordo significa que o Catar será a casa da Fórmula 1 e da MotoGP na próxima década, que são os eventos de pico do automobilismo e do motociclismo mundial. Temos uma história orgulhosa com relação ao esporte a motor, e este é o próximo capítulo para nós. O Catar será um ótimo destino para a F1, e estamos ansiosos para dar as boas-vindas a todos os pilotos, equipes, mídia e fãs em breve”, celebrou Abdulrahman Al-Mannai, presidente da Federação de Motociclismo do Catar.

Com o adendo do país árabe, a Fórmula 1 ainda terá sete provas em 2021 para saber se Lewis Hamilton conquistará o inédito octacampeonato ou se Max Verstappen colocará fim à hegemonia do piloto da Mercedes. Até o final do ano, a categoria passará por Turquia, Estados Unidos, México, Brasil, Catar, Arábia Saudita e Emirados Árabes Unidos.