Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte
Motor / Erich Beting

Opinião: O Circo da Fórmula 1 finalmente chegou ao Brasil!

Como pudemos ter Fórmula 1 no Brasil durante décadas sem ter ao menos uma loja oficial da categoria?

Erich Beting - São Paulo (SP) Publicado em 05/11/2021, às 08h20 - Atualizado às 08h22

Loja da Fórmula 1 foi inaugurada na semana passada em shopping na zona sul de São Paulo - Reprodução / https://f1saopaulo.com.br/
Loja da Fórmula 1 foi inaugurada na semana passada em shopping na zona sul de São Paulo - Reprodução / https://f1saopaulo.com.br/

Durante décadas nos acostumamos a ver, a uma semana do então GP Brasil de Fórmula 1, as reportagens mostrando a chegada “do Circo da Fórmula 1 ao Brasil”. Expressão criada pelo genial Galvão Bueno, ela era uma forma de, ao mesmo tempo, exaltar a grandiosidade da F1 e preparar a expectativa do torcedor para acompanhar mais um final de semana de Grande Prêmio.

Estamos a pouco mais de uma semana para o primeiro GP de São Paulo de Fórmula 1. É o primeiro sob nova direção, depois da mudança de promotores da prova no Brasil, em novo acordo firmado pela Liberty Media, já dentro do conceito de renovação e promoção da categoria, que deu um cavalo de pau e mudou a direção da F1 mundialmente.

E o que podemos dizer é que, finalmente, o “Circo da Fórmula 1” chega de forma completa ao país. Durante décadas estivemos acostumados a ver a F1 como uma espetacular competição de automobilismo. Era a mais suprema corrida de carros que já existiu, com um nível técnico espetacular e uma perfeita união entre homem e máquina. A expressão “Circo da Fórmula 1” representava exatamente todo esse aparato esportivo e tecnológico que circunda o universo da F1.

Mas a Fórmula 1 é muito mais do que “só” a maior competição de automobilismo do mundo. Ela é, também, uma marca ultradesejada, comentada e consumida mundialmente. No país de Fittipaldi, Piquet, Senna e tantos outros pilotos geniais, isso é ainda mais forte. Temos uma relação sentimental com a F1 que transcende o esporte. É a rotina familiar do domingo de manhã, é o sentimento de heroísmo dos nossos campeões, é parte da nossa história.

Nesta semana, a loja oficial da Fórmula 1 foi montada pela primeira vez dentro de um shopping em São Paulo. Um espaço que tem tudo para virar permanente, de tão óbvio que parece ser a construção de uma loja temática da F1 em um país tão apaixonado por ela. É só ver o que a NBA, com muito menos história dentro do país, acabou de fazer com a terceira maior NBA Store do mundo inaugurada em São Paulo para entender o potencial de negócio que existe para a F1 por aqui.

Durante décadas, a loja oficial, ou um quiosque no aeroporto que seja, não fazia parte do “Circo da Fórmula 1” no Brasil. Limitávamos a realização do GP Brasil a uma semana dentro do Autódromo de Interlagos, sem espalhar, pelo restante do Brasil e nem ao menos para a cidade-sede do GP, toda a grandiosidade do evento e da F1 em si.

Com uma disputa acirrada na pista pelo título e um forte trabalho de promoção e divulgação do GP, a cara da Fórmula 1 começa a mudar para o público brasileiro a partir desta “estreia” do GP de São Paulo. O evento também será o primeiro a abrir as portas para todos na cidade, o que reforça o sentimento de que vamos conseguir superar esses duros anos de pandemia que já vivemos e viveremos.

A Fórmula 1 vai muito além das máquinas e dos homens. E ela finalmente vai saindo da garagem no Brasil. Para quem trabalha com gestão esportiva, não tem melhor notícia do que essa: saber que o Circo da Fórmula 1 está, finalmente, chegando por aqui!