Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

Ação mais ousada: Atletiba fora da TV

Rivais paranaenses protagonizaram jogos exibidos apenas pela internet

Redação - São Paulo (SP) Publicado em 02/01/2018, às 11h17

Imagem Ação mais ousada: Atletiba fora da TV

Foto: Reprodução

Atlético Paranaense e Coritiba fizeram, em 2017, o primeiro grande jogo do futebol brasileiro inteiramente exibido pela internet. Nenhuma emissora comprou os direitos de transmissão dos times para o Estadual, e quem quis assistir ao duelo teve que recorrer ao YouTube ou às redes sociais das equipes.

A história não foi fácil de ser escrita, no entanto. Para realizar a partida, os clubes se indispuseram com a Globo e com a Federação Paranaense de Futebol. Depois do sucesso do jogo, o modelo foi repetido para a final do torneio, com números ainda menores e sem os entreveros do primeiro encontro.

Coritiba e Atlético não entraram em acordo com a Globo, que manteve os direitos dos Campeonato Paranaense, por não aceitarem os valores propostos. Em fevereiro, se uniram para fazer a transmissão do clássico pela internet, com a contratação de uma produtora. A primeira experiência, no entanto, ficou marcada pelo constrangimento.

Foto: Reprodução

Com a Arena da Baixada cheia, os dois clubes entraram em campo para fazer o primeiro clássico do Estadual. Minutos antes de a bola rolar, veio a ordem da Federação Paranaense de Futebol: a transmissão pela internet não poderia acontecer. A entidade alegou que a produtora contratada pelos times para cobrir a partida não tinha feito o credenciamento no período exigido, de 48 horas antes do evento. Os clubes, revoltados com a situação, resolveram retirar os times de campo e se recusaram a realizar o duelo. As duas torcidas rivais se uniram para gritar “vergonha”, entre outros cantos mais agressivos.

A federação chegou a remarcar o jogo para uma quarta-feira de cinzas, mas mais uma vez os clubes recusaram a partida. As equipes não queriam tirar a folga dos jogadores no Carnaval, mas também se empolgaram com os números preliminares, com 485 mil visualizações somente no YouTube.

Após finalmente se enfrentarem, os times puderam expor suas contas no YouTube. O Atlético Paranaense teve um crescimento de 150% de seguidores na rede social, enquanto o Coritiba cresceu 110%.

O ápice aconteceu na decisão do Paranaense. Mais uma vez com exclusividade pela internet, a final do torneio somou 1,5 milhões de visualizações. Durante o jogo, cada usuário ficou mais de 20 minutos, em média, na audiência. No caso das redes do Coritiba, o campeão, o número chegou a 25 minutos. Para ambas as equipes, um sucesso para além do que a televisão convencional poderia oferecer.