Adidas impõe restrições a franquias do Palmeiras

Adidas prefere que franquias não sejam administradas por terceiros

Adidas prefere que franquias não sejam administradas por terceiros

Após resolver a confusão que surgiu em torno da futura rede de franquias e escolher a Meltex para geri-la, o Palmeiras está tentando convencer a Adidas a aprovar o negócio, e a situação não é favorável ao clube. Depois de reuniões entre presidentes de ambos os lados, a equipe paulista ainda não conseguiu a anuência da fornecedora.

Por parte da Adidas, a princípio, não há motivos para deixar que lojas oficiais do parceiro sejam administradas por terceiros. Em encontro com Arnaldo Tirone, presidente do Palmeiras, e Rubens Reis, diretor de marketing do time, Fernando Basualdo, presidente da Adidas no país, disse que a fabricante se sente desconfortável com o negócio.

A colisão entre Palmeiras e Adidas nesse aspecto pode culminar em disputa calcada no contrato existente entre ambos. Segundo o documento, o clube pode pedir que a parceira produza determinado item, e caso ela não consiga fazê-lo em seis meses a demanda é levada para terceiros. Com brechas assim, o time dobraria a situação.

Oficialmente, no entanto, o tom adotado por dirigentes palmeirenses é mais ameno. "Nós apresentamos o projeto, e eles têm restrições normais, mas é um projeto que irá sair", afirma Rubens Reis. "Não é briga, está tudo em paz. É uma conversa de gente adulta, uma mesa de negociação. E a maioria dos clubes já tem esse sistema".

Paralelamente, a Adidas está realizando reuniões com representantes do Fluminense, outro time de futebol patrocinado no Brasil, a respeito do mesmo assunto. A posição adotada em relação aos cariocas foi a mesma: temendo a possibilidade de obter prejuízos com a estruturação de rede de franquias, a fabricante é contrária ao negócio.

Leia mais:

Adidas e Flu iniciam tratativas sobre franquias