Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

Adidas vê vendas na China caírem 85% por causa do coronavírus

Região da Ásia-Pacífico é a que mais fatura para a marca em termos globais

Redação - São Paulo (SP) Publicado em 19/02/2020, às 11h27

Imagem Adidas vê vendas na China caírem 85% por causa do coronavírus

A Adidas admitiu, nesta quarta-feira (19), que o surto de coronavírus está sendo responsável por uma queda de 85% nas vendas da marca em território chinês. A base de comparação é a quantidade de vendas feitas pelas lojas físicas e on-line da empresa alemã entre janeiro e fevereiro do ano passado.

LEIA MAIS: Por coronavírus, Maratona de Tóquio restringe prova à elite

LEIA MAIS: F1 oficializa adiamento do GP da China por conta do coronavírus

LEIA MAIS: Comitê dos Jogos de Tóquio 2020 liga alerta contra coronavírus

Atualmente, a Adidas distribui seus produtos em mais de 12 mil lojas na China, a maioria sob esquema de franquia, com cerca de 500 estabelecimentos sendo gerenciados diretamente pela marca. A região da Ásia-Pacífico é a que mais fatura globalmente para a empresa, alcançando € 2,09 bilhões nos primeiros nove meses de 2019, 10,4% a mais do que no mesmo período do ano anterior. O peso exato da China na região não foi revelado, mas já há uma preocupação crescente em relação aos resultados finais do ano.

Foto: Reprodução

"A magnitude do impacto total em nossos negócios para o ano de 2020 não pode ser quantificada exatamente hoje. Mais informações serão fornecidas em 11 de março, quando publicarmos os resultados econômicos correspondentes ao ano fiscal de 2019. Mas é certo que a queda brutal nos números causa preocupação", afirmou a Adidas, em comunicado oficial.

Vale ressaltar que outras marcas esportivas também alertaram que o coronavírus afetará os negócios na China em 2020, caso da Puma, que deixou isso claro em sua apresentação dos resultados econômicos de 2019. Para se ter uma ideia, mais da metade das lojas da marca alemã na China estão temporariamente fechadas. A Nike, por sua vez, também divulgou uma declaração sobre o efeito negativo que o surto terá sobre o crescimento da marca americana no país asiático, mas não especificou números.