Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

Ambev aposta na massa para meio digital

Ambev aposta na massa para meio digital

Duda Lopes em São Paulo - SP Publicado em 17/06/2010, às 13h00

Em evento promovido pela revista Proxxima, sobre marketing online durante a Copa do Mundo, a Ambev reforçou seu desejo pela massa em suas campanhas, independentemente do veículo em que a mensagem for transmitida. A empresa usou como exemplo o iPhone, afirmando não ver necessidade na aposta de um aplicativo restrito a poucas pessoas. Segundo o diretor de marketing da Brahma, Marcel Marcondes, o investimento na internet ainda é pequeno, mas crescente. Ele frisa que para se ter relev"ncia, é necessário um trabalho para massa. Para atrair público, afirma que é necessário uma marca forte e um assunto popular. ?Nós escolhemos o futebol como um assunto interessante, então a gente defende a seleção (brasileira de futebol)?, retifica Marcondes. Hoje a Brahma concentra o futebol em suas ações de marketing, não só na seleção brasileira e na Copa do Mundo, mas também no futebol nacional, com suportes recém-fechados com Botafogo e Fluminense. No meio online, a ideia se mantém, mas com o desafio de se entender o hábito massivo, saber qual é a sua profundidade e entender qual é o comportamento do brasileiro médio. Marcondes citou como exemplo a descoberta, feito por pesquisas recentes de sua equipe de marketing, que o site da empresa tem maior acesso em lan houses. ?Isso pode parecer bobagem, mas diz muito sobre o nosso público e de como ele usa a internet?, afirma. Outro exemplo de sucesso na internet citado pelo diretor foi o da ?lata falante?, da Skol, também da Ambev. A experiência, de pôr no mercado algumas latas com caixa de som que emitem gritos da torcida brasileira, foi bem sucedida no meio digital. Segundo Marcondes, 3 milhões de pessoas entraram no site para criar frases para as latas. ?São poucos modelos no mercado, o que faz parte da brincadeira. É uma experiência diferente, inovadora?, justificou o diretor sobre o porquê da boa aceitação do público.