Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

Análise: Globo é estranha vilã do futebol brasileiro

Ataque do Flamengo à principal parceira comercial do clube é uma provocação pública desnecessária

Duda Lopes - São Paulo (SP) Publicado em 31/01/2020, às 07h51 - Atualizado às 10h51

Imagem Análise: Globo é estranha vilã do futebol brasileiro

Na temporada de 2018, a última com os balanços contabilizados dos clubes, o Flamengo recebeu mais de R$ 220 milhões de televisão. No total, a quantia representou mais de 40% do faturamento da equipe carioca. Será que alguma empresa do mundo bateria de frente com o parceiro comercial que é responsável por quase metade da receita recebida? É mais ou menos isso o que o Flamengo está fazendo com a Globo, a improvável vilã do futebol brasileiro.

LEIA MAIS: Após reunião, Flamengo vai à Justiça contra a Globo

Historicamente, o Grupo Globo é o maior responsável pela promoção e pelo financiamento do futebol no Brasil. Todos os clubes da Série A, sem exceção, têm a emissora como principal parceira comercial. Não há ninguém que pague mais.

Na ânsia por receber mais, alguns desses clubes, inclusive o Flamengo, resolveram implodir o Clube dos 13 em 2011 para que as negociações pelos direitos de TV fossem individuais. O processo afastou outros grupos de mídia e colocou todo o poder do futebol nas mãos da Globo, grande interessada nisso. Hoje, quem não a quer como parceira, fica isolado no país.

Foi o que aconteceu com o Flamengo no atual Campeonato Carioca. Sem fechar com a Globo, o time deixou de ganhar R$ 20 milhões e ficará escondido por três meses da televisão, sem exposição para seus parceiros, sem a promoção de seu produto.

O discurso é de injustiça pelos valores, mas não se engane: a Globo tem jogado conforme os clubes e está muito longe de ser a única vilã dessa história. Com as negociações individuais, quem não fecha com a emissora não tem oportunidade de fechar com mais ninguém. No Brasileirão, houve uma série de jogos sem nenhuma transmissão na televisão fechada graças à entrada do Esporte Interativo, que ficou longe da unanimidade entre as equipes do país.

Agora, o Flamengo aciona a Globo na Justiça por alegar ter mais direitos. Segundo a emissora, a ação foi recebida pela imprensa. Ou seja, o clube não tem tanto interesse em negociar com seu principal parceiro comercial, mas sim deixar a imagem pública de que está em uma luta legítima. Deixar a Globo mais uma vez como vilã.

LEIA MAIS: EXCLUSIVO: Flamengo quer R$ 81 milhões da Globo

O que o Flamengo e a grande maioria dos clubes brasileiros fazem nos bastidores é um show de horror. A pedida surreal dos cariocas pelo fraquíssimo Estadual, jogado até agora com um time sub-23, é um acinte. Uma absoluta miopia que abrange a qualidade do próprio produto, as reais necessidades do mercado e qualquer possibilidade de avanço em longo prazo. Melhor colocar a culpa na Globo mesmo.