Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

Análise: Kobe Bryant foi o ídolo que a NBA precisava

Grande nome do basquete pós-Jordan, ex-atleta foi fundamental para a internacionalização da liga neste século

Duda Lopes - São Paulo (SP) Publicado em 27/01/2020, às 08h30 - Atualizado às 11h30

Imagem Análise: Kobe Bryant foi o ídolo que a NBA precisava

O mundo esportivo convive com um problema recorrente: como sobreviver sem um grande ídolo? Diversas modalidades, como o basquete americano, são plenamente sustentáveis, mas o grande jogador, aquele que carrega consigo multidões, é fundamental para alavancar os negócios. Funciona assim em qualquer esporte, clube ou liga. Uma imagem forte ajuda demais o negócio.

LEIA MAIS: Homenagens pelo mundo expõem importância de Kobe Bryant

Nesse cenário, Kobe Bryant teve uma importância fundamental para além das quadras da NBA. O americano foi o maior atleta do basquete pós-Jordan, e seria impossível pensar na liga dos Estados Unidos como ela é atualmente sem a presença marcante do ídolo dos Los Angeles Lakers.

A NBA viveu um enorme boom global com a geração do "Dream Team". Michael Jordan, Magic Johnson e companhia foram responsáveis por encantar o mundo do esporte, e a liga americana explodiu em popularidade nos EUA e em diversos países. Mas, se durante os anos 1990 a NBA viveu uma fase de glória, a virada do século foi um período de dúvidas e de baixas.

Foi nesta época que Bryant surgiu e começou a mudar essa situação. Ao longo da década de 2000, alcançou o estrelato e voltou a colocar a liga americana no centro do esporte. Foi um dos principais responsáveis por manter a NBA e o basquete em alta, e abrir caminho para ídolos atuais como LeBron James, Kevin Durant e companhia.

Mais do que isso: além do enorme talento em quadra que deixou o Los Angeles Lakers em evidência, Kobe Bryant foi o ídolo que a NBA precisava. Que qualquer entidade esportiva sonha em ter, na verdade. Carismático e acessível, o americano conseguiu construir por meio de suas atitudes a imagem de bom moço arranhada apenas pelo caso de estupro que quase encerrou sua carreira. Não economizou envolvimento em ações sociais, inclusive no Brasil. Em solo nacional, o astro ajudou crianças, batizou quadra pública, assistiu à Copa do Mundo, tudo isso em um período em que o país estava devidamente no radar da NBA. Meses depois, aliás, a entidade americana fechou parceria com o NBB.

LEIA MAIS: ESPN homenageará Kobe Bryant com programação especial

A capacidade de Kobe Bryant em falar com diversos públicos gerou até uma animação da Disney, "Dear Basketball", vencedora do Oscar de curta-metragem de animação em 2018. Difícil imaginar o que a NBA poderia querer mais para se promover.

Kobe Bryant foi um dos atletas mais influentes deste século e certamente deixou diversas lições de gestão de imagem. Dentro ou fora de quadra, o eterno camisa 24 do Lakers mostrou mais uma vez a importância do ídolo certo para a promoção de uma grande liga esportiva como a NBA.