Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

Análise: O Brasileirão vai começar, mas qual marca aposta nele?

Erich Beting discute a razão pela qual nenhuma empresa vinculou sua marca como patrocinadora do Brasileirão

Erich Beting - São Paulo (SP) Publicado em 08/05/2015, às 10h20

Imagem Análise: O Brasileirão vai começar, mas qual marca aposta nele?

Neste fim de semana o evento esportivo de maior alcance no Brasil. O Brasileirão é o torneio que mais envolve o torcedor, tem maior exposição em mídia e gera a maior movimentação de dinheiro no país.

Mas qual marca aposta nele?

Entre as dezenas de empresas que de alguma forma se relacionam com o futebol, apenas uma tomou as rédeas para fazer ativação de patrocínio vinculada ao início do Brasileiro.

O “Super fim de semana” promovido pelo programa Movimento por um Futebol Melhor, que é liderado pela Ambev, é a única forma de o torcedor ser lembrado pelas marcas que o Brasileirão está para começar.

Mas essa ação ainda está restrita aos quase 1 milhão de sócios-torcedores cadastrados no programa.

Por que nenhuma marca tenta se apropriar do Brasileirão?

O problema, ao que tudo indica, é que, além de uma falta de cultura para ativação de patrocínio, nós temos uma inércia do próprio mercado esportivo em provocar os patrocinadores para as ações do gênero.

“Organizadora” do Brasileirão, a CBF não faz qualquer esforço para tentar promover o torneio. O jogo Palmeiras x Atlético-MG, que abre o torneio, terá na festa inicial exatamente o mesmo roteiro da partida entre Audax e o Palmeiras, que inaugurou o Campeonato Paulista.

O maior evento esportivo do país começa neste final de semana. Mas como fazer se a entidade que é responsável pelo torneio não se dá ao luxo de mostrar ao mercado o tamanho e a importância que ele tem?

O futebol segue a achar que o que vale é só a bola rolando no gramado.