Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

Angela Park bate marca de US$ 2 mi

Angela Park bate marca de US$ 2 mi

Gustavo Franceschini em São Paulo - SP Publicado em 10/03/2009, às 08h00 - Atualizado às 11h00

A golfista Angela Park deu, no último fim de semana, mais um passo importante para se firmar como uma das melhores do mundo no esporte. Com a terceira colocação no HSBC Women?s Champions de Cingapura, que lhe garantiu US$ 106 mil (R$ 251,3 mil), a brasileira passou a marca de US$ 2 milhões (R$ 4,7 mi) em premiações, número que pode, na opinião de especialistas, alavancar a modalidade no país. ?Para nós é muito importante que o mercado reaja ao golfe, que é um dos esportes que mais movimenta dinheiro pelo mundo. Isso pode fazer a mídia perceber o quanto ela é importante, e o quanto ela é brasileira, que é algo muito questionado?, disse Ênio Ribeiro, sócio da agência Brasil 1 e especialista em marketing esportivo. Em números absolutos, a marca ainda mantém Park longe das primeiras golfistas do ranking mundial. Considerada a melhor jogadora do circuito atual, a mexicana Lorena Ochoa soma US$ 13,46 milhões (R$ 31,9 mi) em premiações. A brasileira se equipara, porém, pelo tempo de permanência no circuito. No começo do seu terceiro ano como profissional, Angela Park soma pouco menos que os US$ 2,27 milhões (R$ 5,3 mi) que Ochoa angariou no mesmo período, já que atualmente conta seis temporadas de disputas com as melhores. ?Ela está no primeiro nível. Esportivamente, o que falta para ela é começar a vencer. Ela tem muitas oportunidades, fica na frente das demais, mas ainda tem dificuldade para manter a vantagem. Com o tempo ela aprimora isso?, disse Guillermo Piernes, autor do livro ?Liderança e Golfe? e especialista na modalidade. ?É interessante analisar a carreira da Angela Park, porque ela consegue, em tão pouco tempo, ser a mulher que mais dinheiro ganhou na carreira. É uma esportista de primeiro nível, e que merece mais atenção?, concluiu Ribeiro.