Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

Após boicote a jogo do Arsenal, China veta Özil em videogame

Meia alemão será excluído de todas as versões do Pro Evolution Soccer 2020

Redação - São Paulo (SP) Publicado em 19/12/2019, às 08h27 - Atualizado às 11h27

Imagem Após boicote a jogo do Arsenal, China veta Özil em videogame

Dias após a TV chinesa decidir não transmitir o jogo do Arsenal contra o Manchester City por causa de declarações dadas por Mesut Özil, jogador do Arsenal, acusando os chineses de perseguirem muçulmanos, foi a vez de a NetEase, produtora licenciada do game Pro Evolution Soccer, anunciar que o atleta será excluído de todas as versões do PES 2020.

LEIA MAIS: TV da China cancela jogo do Arsenal após crítica de Özil ao país

"O jogador alemão Özil postou uma declaração extrema sobre a China nas mídias sociais. O discurso feriu os sentimentos dos fãs chineses e violou o espírito esportivo de amor e paz. Nós não entendemos, aceitamos ou perdoamos isso", declarou a empresa na rede social chinesa Weibo.

Foto: Reprodução / Pro Evolution Soccer

A "guerra" dos chineses contra Özil é uma versão um pouco mais branda da crise que envolveu a NBA no último mês de outubro. Na ocasião, o governo chinês entrou em rota de colisão com a liga americana de basquete por conta de um tuíte publicado pelo gerente geral do Houston Rockets criticando a opressão chinesa sobre a população de Hong Kong.

LEIA MAIS: Análise: China mostra ter aprendido com "duelo" com NBA

À época, a China exigiu uma retratação pública da NBA, que por seu lado defendeu o direito de livre expressão do executivo do time. A crise fez a liga americana perder milhões no país que representa seu maior mercado fora dos EUA, enquanto o Rockets viu todos os contratos com patrocinadores chineses ser cancelado.

LEIA MAIS: Houston Rockets perde parceiros na China após tuíte sobre Hong Kong

LEIA MAIS: Crise política com Hong Kong faz China decidir boicotar NBA

LEIA MAIS: China proíbe NBA de dar entrevista após amistoso no país

LEIA MAIS: Tuíte segue "causando", e 12 marcas chinesas rompem com NBA

LEIA MAIS: Após crise política, NBA se cala ao final do tour pela China

LEIA MAIS: LeBron critica tuíte e reacende polêmica da NBA com a China

LEIA MAIS: Análise: Lições da crise entre NBA, China e LeBron James

Agora, com Özil, o foco está apenas no jogador e, de certa forma, de maneira mais branda. Um porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China disse que Özil foi enganado por notícias falsas sobre a vida dos muçulmanos no país.