Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

Após NBA com Pacers, Motorola chega à MLS com Chicago Fire

Multinacional de tecnologia voltou a apostar na força do esporte em 2018

Redação - São Paulo (SP) Publicado em 23/01/2019, às 14h39

Imagem Após NBA com Pacers, Motorola chega à MLS com Chicago Fire

A Motorola deu mais um passo em sua estratégia de voltar a apostar na força do esporte, tanto no Brasil como nos Estados Unidos, iniciada no ano passado. A multinacional de tecnologia anunciou nesta quarta-feira (23) que é a nova patrocinadora máster do Chicago Fire, que disputa a Major League Soccer (MLS) e tem como principal estrela o alemão campeão mundial Bastian Schweinsteiger.

O contrato foi assinado até o final de 2021 e dará à empresa o direito de aparecer no espaço principal das camisas de jogo e de treino da equipe americana. Além disso, a parceria fará com que todos os jogadores e membros da comissão técnica do time utilizem smartphones e acessórios da Motorola, que produzirá conteúdo de mídia social e digital para ativar o patrocínio.

Foto: Reprodução / Twitter (@BSchweinsteiger)

"A Motorola é uma marca globalmente reconhecida que, semelhante ao nosso clube, tem orgulho de suas raízes em Chicago. Estamos ansiosos para apresentar a marca Motorola ao público diversificado que existe dentro da MLS e do futebol como um todo", afirmou John Urban, diretor de operações do Chicago Fire.

"O Chicago Fire é o último a se juntar à nossa lista de icônicas parcerias esportivas em Chicago. Assim como a Motorola, o Chicago Fire é ágil, está voltado para o futuro e impulsionado para vencer, o que facilitou muito a parceria", disse Rudi Kalil, vice-presidente e gerente geral da Motorola na América do Norte.

Vale lembrar que, em abril de 2018, a Motorola anunciou que investiria e usaria o esporte para ativar conceito de "reconexão" da marca no Brasil. A estratégia também vem sendo seguida nos Estados Unidos. Em dezembro, a multinacional entrou na NBA com o patrocínio de camisa do Indiana Pacers, fechado por dois anos por um valor entre US$ 8 milhões e US$ 10 milhões.