Após perder cotista máster, Joinville busca patrocínios

Brascola retirou investimento, e clube precisa preencher espaço - Crédito Jaksson Zanco

Brascola retirou investimento, e clube precisa preencher espaço - Crédito Jaksson Zanco

Depois do fim da terceira edição do Novo Basquete Brasil (NBB), enquanto algumas equipes anunciam a chegada de novos atletas, há clubes que ainda não possuem sequer patrocinador máster. É o caso do Univille/Joinville, cujo naming right deixará de carregar o nome da Araldite, marca distribuída pela Brascola.

A empresa optou por não renovar o patrocínio ao basquete de Joinville, sétimo colocado no último campeonato nacional. A não continuidade do negócio se deve ao desejo da Brascola de pulverizar investimentos em vários focos, entre modalidades esportivas e projetos de cunho social, em detrimento do basquete.

Desse modo, o Joinville segue com os patrocínios de Univille e Romaço Rolamentos, com o fornecimento de materiais esportivos da Apolo Sports e com apoio financeiro prestado pela prefeitura da cidade de Joinville, localizada em Santa Catarina. Todos esses acordos foram estendidos por mais um ano, até o fim do NBB 2011/2012.

Como ainda não tem fôlego financeiro para contratar, tampouco renovar com os jogadores da última temporada, o Joinville já perdeu dois jogadores para equipes rivais. Por essa razão, até Alberto Bial, técnico do time de basquete, está empenhado em captar empresas interessadas em preencher a cota de patrocínio máster.

Para convencer companhias de que o investimento trará retorno, o clube pretende explorar a hegemonia que mantém no basquete do Sul do Brasil. "Nós temos a visibilidade do NBB e somos referência nessa região do país", resume Luis Silva, sócio da VO2 Marketing, agência responsável por gerir o marketing da equipe esportiva.