Após problemas, organização rechaça mudar Indy em SP

Will Power venceu, na manhã de segunda, a etapa da Indy em SP

Will Power venceu, na manhã de segunda, a etapa da Indy em SP

No ano passado, a etapa de São Paulo da Fórmula Indy foi realizada no dia 14 de março e enfrentou muitos problemas por conta da chuva. A organização pleiteou uma mudança no calendário, e conseguiu que a edição de 2011 fosse realizada no dia 1º de maio. O resultado: choveu tanto que a prova precisou até ser interrompida – a conclusão aconteceu apenas na manhã de segunda-feira. Ainda assim, a organização descartou novas alterações para as próximas temporadas.

São Paulo tem contrato para realizar a Fórmula Indy até 2019. Neste ano, a organização da categoria automobilística fixou a etapa da capital paulista para o primeiro domingo de maio.

A principal vantagem de a prova ter sido fixada nessa data é que o evento em São Paulo será sempre o antecessor das 500 milhas de Indianápolis, prova mais tradicional do calendário da Indy.

Além disso, o calendário fixo facilita a programação de feiras e eventos do pavilhão de exposições do Anhembi, um dos aparatos que formam o circuito da Indy em São Paulo. A prova também passa pelo sambódromo, pela Marginal Tietê e pela avenida Olavo Fontoura.

“Nós mudamos de março para maio para tentar fugir da chuva. O fim de semana teve sol, o clima estava bom até pouco antes da prova. Aí aconteceu o imponderável, e só o que podíamos fazer era tentar ajeitar as coisas”, disse Caio Luiz de Carvalho, presidente da São Paulo Turismo (SPTuris).

A Fórmula Indy em São Paulo teve um custo de R$ 75 milhões neste ano, valor dividido entre a prefeitura (R$ 15 milhões) e o grupo Bandeirantes (R$ 60 milhões), que também arcou com os custos gerados pelo adiamento para a manhã de segunda-feira.

No domingo, diante da chuva e da possibilidade de a prova ser jogada para a manhã seguinte, pilotos chegaram a falar sobre a possibilidade de mudar novamente o mês da corrida ou até realizá-la em um sábado. “Não tem chance”, sentenciou Carvalho.

A única mudança que o presidente da SPTuris admite cogitar é em relação ao horário do evento. Carvalho pensa que a prova poderia ser iniciada cerca de uma hora mais cedo, ao meio-dia, mas alterações nesse aspecto dependem de um aval da televisão e da organização da Indy.