Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

Após recorde, Puma liga alerta em 2020 devido ao coronavírus

Com ajuda do City, marca obteve maior faturamento de sua história em 2019

Redação - São Paulo (SP) Publicado em 12/03/2020, às 07h22 - Atualizado às 10h22

Imagem Após recorde, Puma liga alerta em 2020 devido ao coronavírus

Há cerca de duas semanas, a Máquina do Esporte informou que a Puma alcançou o maior faturamento de sua história no ano de 2019. Com ajuda do patrocínio ao Manchester City, que teve início em julho do ano passado, a marca alemã alcançou o recorde de € 5,5 bilhões. Dessa forma, o prognóstico para 2020 era dos mais otimistas, só que a propagação do coronavírus já está fazendo a empresa mudar os planos.

LEIA MAIS: City ajuda, e Puma obtém maior faturamento de sua história

LEIA MAIS: Adidas vê vendas na China caírem 85% por causa do coronavírus

Em um comunicado oficial, a Puma admitiu que o que aconteceu até o momento já será suficiente para afetar os negócios do ano. Com um faturamento 18,4% maior em 2019 com relação a 2018, o objetivo era crescer acima dos 10% este ano. Agora, a empresa já admitiu que chegar aos 10% a mais de faturamento será uma grande vitória.

Foto: Reprodução

"O coronavírus impactou negativamente nossos negócios desde o início de fevereiro, tanto em número de vendas quanto na fabricação de produtos", afirmou a empresa.

Apesar da má notícia, a fabricante alemã também revelou que todos os escritórios da marca espalhados pelo mundo estão abertos, inclusive na China, país responsável por 20% do abastecimento de produtos. Nos outros países asiáticos, não chegou a haver problemas em termos de produção, mas haverá impacto nas vendas em países como Coreia do Sul, Japão, Malásia e Singapura.

Em compensação, em outros territórios, em especial na Europa, a Puma não espera uma normalização da situação de produção a curto prazo. As lojas na Itália, por exemplo, estão todas fechadas por uma determinação do governo do país. Nos próximos dias, países como Alemanha e França correm o mesmo risco, o que vai derrubar de forma consistente o faturamento da marca em todo o continente.