Após reestruturação, CNA retorna à Ponte Preta

Em 1999, a Ponte Preta recebia pela primeira vez um aporte da CNA, que esteve presente durante o Campeonato Paulista. Depois, a marca voltou em 2003 e esteve em sequência nos anos de 2009 e 2010. Nesta sexta-feira, a rede de ensino de idiomas anunciou um novo acerto, após ficar seis meses ausentes para repensar seus patrocínios.

O diretor de marketing da CNA explicou sucintamente por email para a Máquina do Esporte o porquê do afastamento de seis meses após dois anos seguidos com a Ponte: “Em função de mudanças em procedimentos internos na gestão de patrocínios, o CNA afastou-se momentaneamente da Ponte Preta. Estamos muito felizes com a renovação”, afirmou.

Nesse meio período, a Ponte Preta enfrentou dificuldades. Para o Campeonato Paulista deste ano, o clube conseguiu um patrocínio com a concorrente Yázigi. O contrato só abrangia o torneio e, quando se encerrou, a diretoria do time de Campinas teve que ir ao mercado para procurar um substituto.

De início, o clube foi para o mercado para achar um novo acordo, mas não viu um cenário que animasse a direção com valores almejados para a disputa da Série B. Sem exigir uma valorização fora dos padrões, o clube viu as marcas locais e nacionais com dificuldade de investimento no time.

A negociação com a CNA também não facilitou o trabalho da Ponte Preta. As conversas começaram há um mês, mas o contrato foi revisto algumas vezes antes de ser concluído. “Demorou, mas isso faz parte, são burocracias normais. Já estávamos acertados há um tempo”, comemorou o gerente de marketing do clube, Nelson Lopes.

O patrocínio da CNA irá até o fim de 2011 e inclui a exposição da marca nas camisas dos uniformes oficiais, uniformes de treino e backdrops, além de placas e balões infláveis no estádio Moisés Lucarelli em dias de jogos.