Após sucesso no Rio, UFC prevê expansão no Brasil

Dana White, presidente do UFC, quer quatro edições no Brasil em 2012

Dana White, presidente do UFC, quer quatro edições no Brasil em 2012

A experiência de levar o Ultimate Fighting Championship (UFC) para o Rio de Janeiro, definitivamente, empolgou Dana White, presidente da liga. Estão previstas para o ano que vem pelo menos quatro edições das 12 previstas no circuito.

"Faço eventos há dez anos pelo mundo inteiro", disse o mandatário durante encontro realizado no fim de semana. "O Brasil ganha pela torcida mais barulhenta. Uma coisa fantástica foi ver a arena lotada desde a primeira luta. Por mim, estaríamos aqui todo fim de semana".

O evento no Rio de Janeiro, realizado no HSBC Arena, em Jacarepaguá, reuniu quase 20 mil torcedores. Os valores cobrados superaram edições realizadas em Las Vegas, nos Estados Unidos. Enquanto a versão norte-americana teve o bilhete mais caro estipulado em R$ 1.280, a entrada carioca mais cara custou R$ 1.600.

“Era o que precisávamos. Já estivemos conversando com muitas cidades aqui no Brasil e agora vamos investir sério. Vamos levar o UFC a muitos lugares e vamos voltar ao Rio também”, acrescentou White, antecipando de certa maneira o futuro do evento no país.

Para facilitar essa entrada no mercado brasileiro, está prevista a criação de escritório do UFC no Brasil. O dirigente preferiu não revelar muitos detalhes a respeito dessa empreitada, porque ainda precisa se adaptar ao mercado brasileiro, segundo ele.

A princípio, a expectativa é que haja novas edições do UFC em 2012 nas cidades de Manaus, Rio de Janeiro e São Paulo.

O único acontecimento que incomodou White foi a hostilidade com a qual torcedores cariocas encararam Anderson Silva, cujo combate contra o japonês Yushin Okami era a principal da noite. O lutador entrou no octógono com o símbolo do Corinthians, pois é patrocinado pela equipe paulista, e incomodou a torcida local.