Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

Aquém de plano, SP ainda busca parcerias

Aquém de plano, SP ainda busca parcerias

Guilherme Costa em São Paulo - SP Publicado em 10/02/2009, às 09h00 - Atualizado às 11h00

Nem a quantidade de parceiros, tampouco o volume de receita. A diretoria do São Paulo divulgou um projeto para fazer seis contratos comerciais, usando o estádio do Morumbi como chamariz e unidade de negócios. Essas negociações tinham um aporte ideal de R$ 16 milhões para o clube. Na última segunda-feira, os novos investidores foram apresentados. Entretanto, a dist"ncia para as metas estabelecidas anteriormente manteve a equipe tricolor no mercado. Ao contrário do que imaginava, o São Paulo conseguiu fechar apenas três parcerias. O clube tricolor receberá investimento dos laboratórios Aché, do espaço Unyco e da Volkswagen, que irá divulgar sua marca nos segmentos de caminhões, carros e banco para financiamento. Sem preencher as seis cotas para contratos comerciais, a equipe precisou se contentar em amealhar R$ 12 milhões nesta temporada ? somando as obras que serão feitas no Morumbi e as ações de ativação, as empresas terão um dispêndio superior a R$ 20 milhões. O espaço para novas iniciativas e o reaquecimento do mercado publicitário são as apostas do São Paulo para aumentar o número de parcerias e a receita oriunda desse segmento. O presidente do clube, Juvenal Juvêncio, teve reunião na tarde da última segunda-feira com uma empresa que pode se juntar às marcas que já investem no Morumbi. O São Paulo ainda vislumbra a chance de explorar parcerias vigentes. O espaço Unyco, setor do Morumbi para marketing de relacionamento corporativo, será desenvolvido com suporte da rede de restaurantes Applebee?s e da Associação Brasileira da Indústria Hoteleira (ABIH). A empresa do ramo alimentício já demonstrou interesse de ampliar sua atuação no clube e até construir uma unidade dentro do estádio. ?Apresentamos parcerias importantes, mas não saímos do mercado. Ainda temos espaço para duas cotas grandes e até três parcerias de porte médio?, planejou o diretor de marketing da equipe tricolor, Adalberto Baptista. Os acordos comerciais fazem parte de um projeto da diretoria do São Paulo para potencializar a receita do departamento de marketing e o lucro advindo do uso do Morumbi. Além de exposição em backdrops e placas publicitárias, as empresas que acertam esse tipo de contrato terão acesso a diferentes formas de ativação ? essas ações pontuais também poderão ser realizadas em outras unidades do clube, como os centros de treinamentos de Cotia ou da Barra Funda. ?Nós estamos transformando o perfil do Morumbi, e contamos com investidores que nos trouxeram a competência de suas marcas para o projeto. Trata-se de um caminho importante para o São Paulo, que está buscando meios para ser cada vez mais forte?, discursou o presidente Juvenal Juvêncio. O discurso otimista, contudo, não esconde a segunda retração de planejamento do São Paulo neste ano. Além de não ter atingido a receita esperada com as parcerias comerciais, o time tricolor precisou fechar novo contrato de patrocínio com a LG por R$ 18 milhões ? o anterior rendia R$ 16 milhões aos cofres e a diretoria sonhava com um acordo próximo de R$ 30 milhões.