Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

Arena também pode ficar fora

Arena também pode ficar fora

Erich Beting e Guilherme Costa em São Paulo - SP Publicado em 16/06/2010, às 16h00

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e o comitê organizador local (COL) anunciaram nesta quarta-feira que o Morumbi foi alijado do projeto da Copa do Mundo de 2014. E nos próximos dias, a Arena da Baixada, situada em Curitiba, pode se tornar a próxima da lista. O principal indício de que o estádio do Atlético Paranaense perderá o direito de receber jogos da Copa do Mundo é que o ministro do Esporte, Orlando Silva Júnior, adotou um discurso sobre a arena exatamente no mesmo tom que usou nos últimos dias para se referir ao Morumbi. ?O Paraná é outro problema. Eles têm um projeto baseado em um estádio que está entre os melhores do Brasil, que é a Arena, e que necessita de pouco mais de R$ 100 milhões para ser reformado. O mais lógico para Curitiba é reformar a Arena. O que me parece é que o conselho deliberativo do Atlético Paranaense vetou essa reforma?, relatou Silva Júnior. O projeto de Curitiba inclui uma proposta de naming rights para levantar recursos. Existe uma possibilidade de esse acordo ser fechado com uma empresa da iniciativa pública do Paraná. ?É a proposta de menor custo, a menos dramática entre as que foram apresentadas para a Copa do Mundo de 2014. Mas o comitê local precisa se movimentar e honrar as coisas que se comprometeu a fazer quando assinou um documento com a Fifa no início do ano?, completou o ministro. O que diferencia o discurso de Silva Júnior sobre o Morumbi das palavras voltadas à Arena é o que ele identifica como papel do proprietário do estádio. ?Quando o conselho do Atlético vetou o projeto, isso caracteriza um afastamento voluntário. Eles é que estão deixando a Copa do Mundo?, finalizou. Ricardo Teixeira, presidente da CBF e do COL, disse nesta quarta-feira que desconhece a situação da Arena da Baixada para a Copa do Mundo de 2014. Segundo o mandatário, qualquer decisão relacionada ao estádio depende da avaliação desses documentos.