Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

Ásia já investe em 10 dos 20 clubes da elite do Campeonato Espanhol

Investidores do continente são donos de dois times e patrocinam outros 8 de torneio

Adalberto Leister Filho - São Paulo (SP) Publicado em 03/11/2014, às 08h13 - Atualizado às 10h13

Imagem Ásia já investe em 10 dos 20 clubes da elite do Campeonato Espanhol

A camisa da Real Sociedad, com caracteres chineses

Sem dinheiro em caixa, a principal alternativa dos clubes espanhóis da primeira divisão é buscar seus patrocinadores no aeroporto. De preferência em viagens para a Ásia. A participação de empresas do continente cresceu amplamente nos últimos anos, turbinada pela crise espanhola. Metade das equipes que militam na primeira divisão têm vínculos econômicos com investidores orientais, e a própria Liga de Futebol Profissional conta com a chinesa Huawei, fabricante de celulares, entre seus principais apoiadores.

Dos 20 clubes da divisão de elite espanhola, oito contam com patrocinadores asiáticos. Outros dois, Valencia e Málaga, foram adquiridos por magnatas de lá. O xeque qatari Abdullah Al-Thani comprou o clube da Andaluzia em 2010, investindo € 150 milhões e trazendo estrelas como Cazorla, Toulalan e Van Nistelrooy. A equipe chegou a fazer campanha histórica, atingindo as quartas de final da Liga dos Campeões.

Já o Valencia foi arrematado por Peter Lim, a oitava maior fortuna de Cingapura, por € 94 milhões. O empresário é o grande trunfo do clube para poder fazer frente a uma dívida de cerca de € 400 milhões e voltar a ser uma potência.

Os investidores asiáticos foram responsáveis por acabar com uma tradição no Barcelona de não estampar patrocínios lucrativos em sua camisa. Naquele ano, o clube da Catalunha assinou acordo com a Qatar Sport Investiment, dona do PSG, por € 170 milhões por cinco temporadas. O contrato foi anunciado, na época, “como o mais alto da história do futebol”.

Já o Real Madrid acaba de reforçar sua lista de patrocinadores com a assinatura de contrato com a IPIC (International Petroleum Investment Company), um fundo de investimento do governo de Abu Dhabi. A companhia, dona da Cepsa, uma das maiores empresas da Espanha, irá financiar a reforma do estádio Santiago Bernabeu. Desde 2013, o clube merengue já conta com outro investidor dos Emirados Árabes, a companhia aérea Emirates, patrocinadora da camisa do time.

Atual campeão espanhol, o Atlético de Madri tem o Azerbaijão como patrocinador de camisa e assinou recentemente acordo com a Huawei. Já o Sevilla, que vem fazendo campanha surpreendente no Campeonato Espanhol, estampa na camisa propaganda incentivando o turismo na Malásia, em acordo assinado com o governo local.

O Villarreal chegou a acordo com a Dalian Wanda Group Corporation, conglomerado de empresas chinesas, em 2010. O Submarino Amarelo, como é conhecido, recebe todos os anos dez promessas do futebol chinês para passar por estádio no clube. A equipe também tem entre seus patrocinadores a Doogee (smartphones) e a Xtep (material esportivo), duas empresas chinesas. Uma holding de capital de Austrália e Coreia do Sul, a East United, estampa publicidade na camisa do Levante.

Já a Real Sociedad e o Rayo Vallecano são apoiados pela QBao.com, empresa chinesa de publicidade e apostas online. A equipe do País Basco, que não conseguiu patrocinador na temporada passada, estreou a publicidade na camisa na vitória sobre o Real Madrid, por 4 a 2, na segunda rodada do Campeonato Espanhol. O resultado inesperado deixou os novos apoiadores tão satisfeitos, que a Real Sociedad recebeu um bônus de € 100 mil pela boa repercussão do resultado na China.