Atlético-MG tem lucro mais baixo do returno

Mineiros venceram paulistas, mas lucraram só R$ 1,7 mil com triunfo

Mineiros venceram paulistas, mas lucraram só R$ 1,7 mil com triunfo

Pela segunda rodada do returno do Campeonato Brasileiro, o Atlético-MG venceu o Grêmio Prudente e somou três pontos na luta contra o rebaixamento, mas não começou nada bem em termos financeiros. Na partida, embolsou cerca de R$ 1,7 mil, lucro mais baixo dentre os 20 jogos já disputados na segunda fase do torneio - acima somente de Fluminense e Prudente, ambos com déficit.

O embate entre o clube mineiro e o oponente paulista foi realizado na Arena do Jacaré, onde os mineiros têm enfrentado dificuldades para emplacar boas bilheterias. Entre julho e agosto, Cruzeiro e Atlético-MG jogaram cinco vezes no estádio e tiveram lucro médio de R$ 109 mil. O valor é quase a metade do que os rivais conseguiram, em média, nos sete jogos disputados no Mineirão (R$ 204 mil).

Para amenizar o resultado negativo mais recente, contra o Prudente, contudo, deve ser considerada a fragilidade do adversário no que diz respeito a atrair pagantes. Durante o primeiro turno, o time paulista obteve a pior média de público enquanto mandante, com aproximadamente 5 mil pessoas por jogo.

A média de público registrada pelo time mineiro não é alta, com pouco mais de 11 mil torcedores por partida, em parte por causa da má fase da equipe, atualmente na zona de rebaixamento à segunda divisão nacional.

Pela segunda rodada do returno do Brasileiro, por outro lado, o melhor resultado em bilheterias foi atingido pelo Corinthians, com lucro de R$ 641 mil na derrota para o Grêmio por 1 a 0. Completam a lista dos cinco melhores da etapa Botafogo (R$ 237 mil), Palmeiras (R$ 227 mil), Atlético-GO (R$ 174 mil) e Internacional, bem abaixo, com R$ 27 mil lucrados.